Como fazer um monte de amigos

Medo do futuro, não sei mais o que fazer

2020.11.27 15:25 akiravitoria Medo do futuro, não sei mais o que fazer

Minha irmã tá indo se formar na faculdade de fisioterapia com uma bolsa 100% que ela conseguiu e provavelmente quando conseguir emprego vai parar de morar com a gente rapidinho. Meu pai trabalha consertando ar condicionado e atendendo pessoas em um hospital, considerando que ele está em dois empregos você pode imaginar que nenhum desses dois da muito dinheiro. E minha mãe, ah minha mãe... ela trabalha em contabilidade a anos (profissão que tá morrendo já), os clientes dela já diminuíram vinte vezes do que nos outros anos e o patrão dela provavelmente vai morrer em menos de dois anos visto as condições médicas dele, e eu sou uma adolescente transgenero não assumida, inútil, extremamente depressiva e fico fazendo minha mãe gastar o dinheiro dela em psicólogo e agora provavelmente até em psiquiatra, e minha mãe tem noção de tudo isso, ela tem noção de que o patrão dela em pouco tempo vai morrer, e que ela só completou o ensino médio e não lembra de nada de lá por causa de uma doença que deixa ela com a memória muito fraquinha (esses dias ela quase chorou pedindo pra mim pra eu começar a acompanhar ela na rua pq ela tem medo de do nada perder completamente a memória e ficar perdida na rua), ela sabe que quando o patrão dela morrer simplesmente fodeu, a gente vai ficar na miséria ou até quem sabe na rua, e por isso, apesar dela não falar explicitamente, ela abriu uma "empresa" com minha irmã de crochê e amigurumi e elas passam o dia inteiro fazendo com todo amor e carinho um monte de coisa com crochê na esperança de um futuro melhor onde isso dê sustento pra ela viver bem, porra cara elas compraram um manequim pra usar de modelo. Elas mandaram fazer um monte de etiqueta e cartão da empresa sob medida, e eu sei comigo mesma que ela só tá se dedicando tanto a isso e gastando tanto dinheiro pq essa é a aposta dela, é a última chance de garantir uma vida sem miséria e alegre, e é uma chance MUITO fraca, pois nossos únicos compradores são alguns parentes e amigos que compram meramente por pena e/ou pra apoiar o negócio, mas uma hora essas pessoas vão se cansar e vão parar de comprar, e aí? O que vai acontecer? Já era? Não quero dar muito detalhe mas minha vida pessoal individual por conta de um monte de problemas e traumas que me ocorreram eu vivo num constante "a esperança morreu?", minha psicóloga mesmo já me indicou pra um psiquiatra pra eu ir tratar a depressão, então eu já sou toda problemática sendo extremamente jovem e ainda tenho que lidar com tudo isso? Porra cara isso é muito injusto. Eu planejava começar a fazer minha transição de gênero com 23 anos mais ou menos, mas tô seriamente cogitando adiar ela BASTANTE e dedicar minha vida a trabalhar pra sustentar a gente, e não sei quantas pessoas transgenero estão lendo isso, mas passar tantos anos sabendo da própria identidade e não fazer nada a respeito é um pesadelo pior que o inferno, tenta só imaginar como vai ficar minha cabeça? Eu não sei mais o que fazer ou pensar, me parece tudo perdido
submitted by akiravitoria to desabafos [link] [comments]


2020.11.27 12:09 Archer_Sharp Voltei a falar com a minha namorada após uma briga feia! Ah... E houve umas coisas no meio!

Olá sub!
Eu recentemente postei um desabafo sobre uma briga feia que tive com a minha namorada e que inclusive tive vários feedbacks! Muito obrigado! Ela começou a conversar comigo de boa ontem, mas antes eu preciso dizer o que aconteceu para quem não sabe!
Nesse domingo tive uma briga na casa dela e eu não sou um cara de xingar, berrar ou fazer qualquer outra coisa, pois acho escroto e sem educação. Logo, eu conversei de boa com ela e além do mais ela tem alguns probleminhas pessoais de saúde que não quero que sejam desencadeados.
Bem... Ela começou a apagar todas nossas fotos juntos e até escondeu e removeu o seu status de relacionamento em algumas redes sociais. E não irei “atacar” ela por causa disso, porque eu respeito a opinião dela e entendo o calor que teve na briga!
E aí passei quase a semana toda passando mal de ansiedade (eu tenho efeitos colaterais físicos por causa disso), porque ela não aceitava o meu pedido de desculpas e tive que me tratar 2 vezes com a minha psicóloga. Sorte que também os meus amigos apareceram para me apoiar e me confortar!
E aí vem a boa notícia e com algumas coisas no meio...
Ontem, eu acordei com um bom dia dela perguntando se eu estava bem e respondi de forma indireta o que eu estava sentindo e acho / espero que ela entendeu e então ela me perguntou como estava as etapas de entrevista de emprego!
Eu fiquei conversando com ela de boa por texto até que após a minha entrevista de ontem... Um cara bate no carro em que eu estava com a minha mãe e meu irmão juntos e ainda bem que não aconteceu nada com a gente! E então ela soube do acidente e ela entrou em desespero e começou a mandar um monte de mensagem para mim! Eu respondi que estávamos bem e ela ficou me confortando, porque né... A minha ansiedade e meu stress subiu na hora!
Eu já estava super ansioso no dia e ela começou a me confortar demais! Ela não parou de mandar mensagem de texto e voltou a mandar mensagens de áudio dizendo o quanto que ela me ama e que ficou muito preocupada! Ah... E ela voltou a postar nossas fotos juntos nas redes sociais e eu não dei nenhuma indireta ou “ataquei” como eu disse... Eu só fingi que não aconteceu nada! Eu acho que ela só está com vergonha de atualizar o status, pois se atualizar... Vai aparecer uma notificação aqui que alguém me marcou em um relacionamento!
É tão bom ver que as coisas estão voltando aos normais e isso demonstra que conseguimos e estaremos amadurecendo cada vez mais! Cada um de nós temos um probleminha, mas iremos crescer juntos!
Muito obrigado por quem leu aqui!
submitted by Archer_Sharp to desabafos [link] [comments]


2020.11.26 13:54 reallyuglydoodles Minha ex não é quem eu pensei que ela fosse. E tudo bem.

Eu namorei com a Laura por uns 3 anos. Terminamos no começo de 2020, e semana passada ela veio me ver aqui em casa porque foi meu aniversário.
E isso aconteceu basicamente porque eu e a Laura mantemos a amizade, mesmo depois do término. Reconhecemos que somos pessoas muito importantes pra vida um do outro e que mesmo nosso namoro não tendo dado certo, ainda podemos ser amigos. E somos mesmo. Já tem quase um ano que a gente não está mais juntos mas mesmo assim, ela ainda me considera o suficiente pra vir me ver no meu aniversário e e ainda trazer um presentinho.
(Eu sei que estamos no meio de uma pandemia, mas já fazem meses que eu tô trancado em casa levando essa quarentena à serio e a Laura literalmente foi a única visita que eu tive nos últimos seis meses, e só porque foi meu aniversário mesmo).
Até aí, tudo certo. O questionamento começa quando eu pergunto se o atual namorado dela está de boa com ela vir visitar o ex-namorado. E pra minha surpresa, ela disse que o namorado não precisava saber que ela estava lá, que é mais fácil ela omitir esse fato, pediu até pra gente não tirar fotos pra não ter perigo delas acabarem caindo num Instagram da vida e o atual dela ver.
Cara, isso me deixou um tanto incomodado. Me fez pensar em quantas vezes ela deve ter feito o mesmo comigo enquanto a gente namorava. E o pior é que nem passava pela minha cabeça. Não que eu ache que ela alguma vez chegou a me trair nem nada do tipo, porque eu realmente confio muito na palavra dela e ela sempre diz que nunca teve nada com ninguém, e eu confio nela. Mas a questão justamente é que esse tipo de atitude dela enfraquece essa retórica, não é?
Sei lá, pareceu a ação de uma pessoa totalmente diferente daquela que eu namorei por vários anos. Eu não estou aqui pra crucificar a menina e me pintar como um santo que nunca errou na vida, mas eu realmente fiz um esforço pra ser sincero. Se eu queria ver alguém específico, eu estava confortável para dizer isso à ela e achava que o contrário também era verdade.
Essa ação dela me fez repensar tantos momentos no nosso namoro que poderiam ter uma interpretação ambígua, mas eu sempre dava a palavra dela como fator guia e todo o resto não importava. Tantas vezes em que ela foi "tomar um sorvete com uma amiga" e sumia por umas 3 horas, ou "a chefe dela disse que ela tinha que terminar aquele projeto logo e ela ia ter que fazer hora extra". Eu sempre aceitei esse tipo de coisa numa boa. Até porque eu pensava se ela quisesse fazer algo tipo ir ver alguém, ela simplesmente diria.
Isso me lembra aquela história de "a pessoa que sempre acha que você está traindo ela provavelmente está traindo você", sabe? Durante nosso namoro, eu tinha que basicamente dar um relatório do que estava fazendo o dia inteiro, qualquer contato com alguma pessoa que não fosse ela gerava uma crise de ciúmes, me isolei de um monte de gente porque "ela não gostava deles". Agora só vejo que ela estava espelhando seu mau comportamento em mim, sendo que eu nunca nem cheguei perto de fazer qualquer coisa parecida com o que ela fez. Nunca nem saí de casa sem que ela soubesse.
Eu nem acho que ficaria muito chateado se ela de fato estivesse me enganando esse tempo todo porque eu sou um cara muito flexível com namoro e meio que aceito que quando se está num relacionamento, existe o risco real da pessoa te trair independente do quão boa você seja pra ela. Mas isso sou eu - o namorado dela provavelmente não pensa como eu e fazer esse tipo de coisa com ele não é justo.
Dada a nossa história, eu não chego a desdenhar dela nem nada do tipo. Ainda acho ela uma garota maravilhosa, e não me arrependo nem um pouco do meu namoro com ela. Mas com certeza tirei ela daquele pedestal, onde só via ela como uma mulher angelical e perfeita que sempre era sincera comigo, e agora vejo ela muito mais como uma pessoa muito boa, mas com algumas características questionáveis. E sabe, tudo bem - eu me enquadro nesse aspecto também.
submitted by reallyuglydoodles to desabafos [link] [comments]


2020.11.25 05:35 akiravitoria Pensando na quarentena que poderia ter vivido

No começo da quarentena eu era bonita, saudável, extremamente gata e até que feliz. Tava ostentando um celular novo FODA que eu tinha ganhado e tava amando, tava em casa tocando altas músicas no violão e fazendo uns negócio foda, ouvindo e conhecendo um monte de música irada e tinha meu amigo na palma da minha mão ali pra gente ligar um pro outro qualquer hora que a gente quisesse pra se divertir papeando ou jogando alguma coisa, essa quarentena podia ter sido massa, mas sabe pra mim qual foi a resposta pro início de uma pandemia mundial no meu país onde eu ficaria confinada em casa? "Nossa, e se ao invés d'eu fazer essas coisas todas eu começasse a usar o Twitter umas oito horas por dia?", obviamente eu não comecei assim né, eu comecei a usar tipo mais pra fazer coisa engraçadinha e legal e uau nossa que divertido pra caralho, mas aí eu descobri que NOSSA DA PRA SE RELACIONAR E FAZER AMIZADES NO TWITTER QUE FODA NOSSA e então daí foi só ladeira abaixo. Sinceramente eu tenho quase um ano inteiro de história pra contar e não tô nem um pouco afim mas indo direto ao ponto, por causa dessa minha decisão incrível de ao invés de me dedicar a coisas foda mesmo que iam me fazer bem e ter me dedicado a uma rede social mórbida igual aquela eu tô: feia, gorda, doente, com uma relação familiar péssima, com aquele celular foda quebrado e tendo que usar um ruim pra caralho (sim o Twitter teve TOTAL influência nesse ocorrido e não, eu não quero explicar como), e com depressão profunda e agora tendo que OBRIGATORIAMENTE sair do twitter de um jeito muito trágico, triste, amargo e brutal, pois me envolvi em um monte de briga, um monte de coisa terrível e eu não devo mais ficar lá de forma alguma, tanto pelo meu bem, quanto pelo fato de terem pessoas que me odeiam tanto que o simples fato d'eu frequentar o mesmo site que elas já as perturba e por tabela perturba um grupo tangente de pessoas, esse site injeta veneno em mim toda vez que eu entro nele, e não me cabe ficar mais lá de forma alguma, lá durante quase um ano foi minha segunda vida mas CHEGA NÉ PESSOAL? Talvez por um mês e meio tenha sido bem divertido, mas agora não é nada mais além de algo que me causa uma tristeza profunda e que me marcou uma cicatriz que vai ficar aqui comigo até meu último suspiro, e o pior, é que pra aqueles que me conheceram ou eu vou simplesmente ser esquecida pra todo sempre ou vou deixar um legado de dor e miséria onde pra tais pessoas vai ser simplesmente impossível ter qualquer lembrança positiva sobre mim. Essa minha saída do twitter tá sendo igual aqueles finais de filme onde os protagonistas conseguem alcançar seus objetivos e na teoria deu tudo certo, mas o jeito como as coisas deram certo foram tão terríveis e trágicas que apesar de tudo ter acabado "bem", tu termina o filme com um gosto amargo na boca, se sentindo devastado e pensando que realmente eles conseguiram, mas valeu a pena? O que mais me incomoda é isso de como eu vou ser lembrada pelas pessoas que me conheceram lá, e olha não quero dar muito detalhe mas NÃO É BOA, tipo NEM UM POUCO, e essa é a marca que eu deixei na Internet, é por essas coisas terríveis que não representam nem 20% de quem eu sou que vão me lembrar, nem só por coisas que eu fiz e que tão diretamente ligadas à mim mas coisas relacionadas, tipo o dia que eu fui vítima de um pedófilo lá, muita gente vai lembrar disso. Eu tive uma chance, uma única chance de marcar a vida de pessoas que moram do outro lado do país com esse poder ilimitado de comunicação que a Internet me dá, tinha a faca e o queijo na mão, eu poderia ter deixado uma boa marca na vida das pessoas, e definitivamente deixei o completo oposto. O que me alegra e me conforta é que eu sou bem jovem ainda, tenho a vida inteira pela frente e acho que em tipo 3 anos ou menos absolutamente nada disso vai afetar meu cotidiano exceto mentalmente. Agora o que tá sendo meu atual pensamento enquanto eu escrevo isso, caralho, olha a quarentena que eu podia ter tido, puta merda cara eu podia ter aproveitado disso pra começar a me relacionar com minha família, a viver em união, em me conectar com coisas boas, essa pandemia apesar de ser algo horrível me deu a chance de fazer o ano mais pacífico da minha vida, e foi totalmente o contrário, isso aqui foi um inferno, um real inferno, me sinto tão estupida por tudo isso, tão mal, tão idiota, e mesmo saindo agora do twitter pra viver a vida IGUAL UMA PESSOA NORMAL eu sinto que esse sentimento de "caralho eu sou burra" vai demorar pra sair.
submitted by akiravitoria to desabafos [link] [comments]


2020.11.22 07:09 Novel_Resident_ "Melhor amiga"

( Alarme! Texto grande!! ) A muito tempo atrás na minha antiga escola eu tive minha primeira melhor amiga, porque eu nunca tive um amigo de verdade isso era muito especial pra mim, nós conversamos sempre, de intervalo até a saída todos os dias, ela era um ótima amiga até as coisas... Mudarem, ou melhor ela mudar.
1° bandeira vermelha: namorados.
Ela nunca foi uma pessoa de namorar até ela começar a gostar de um cara na minha sala, ela nunca parava de falar o quanto ela gostava dele e como ele era lindo e tals, ela falava tanto que esse acabou sendo o assunto favorito dela por meses, eu não suportava só falar sobre garotos ou em namoros ( e até hoje não é um dos meus tópicos favoritos. ) mas como eu sabia que ela nunca tinha se apaixonado antes era normal ela ficar toda hora falando dele, então eu só fui paciente, mas toda a vez que eu tentava puxar sobre um assunto diferente ela sempre dava respostas rápidas pra o assunto acabar logo, o que não era bem, muito legal. Eles acabaram namorando, yaaay. Eu finalmente achei que esse papo de garotos ia acabar mais só ficou pior, não durou muito tempo o namoro e eles terminaram bem rápido, ela passou mais um monte de meses só falando o quanto ele era babacas e tals e sla o que e novamente quando eu tentava só mudar de assunto ela continuava falando mau dele e dai pra frente todos os assuntos que ela tinha pra conversar girava em volta de garotos e namoros.
2° bandeira vermelha: Novas amizades.
Eu nunca tive problema em ter um amigo ou dois a mais, mais como ela era minha primeira melhor amiga era normal eu ter um pouco de ciúmes, a gente começou a sair um uma menina super bacana e eu não tinha nenhum problema com a presença dela, mas essa garota que começou a falar com ela não era gente boa, era repetente e também se metia em bastante briga e uns rolos aí, eu nunca fui de conversar com ela mais já a minha melhor amiga já adorou ela mas meio que essa garota ( vou chamá-la de Mara) a Mara não gostava nem um pouco de mim, era grossa, não tinha respeito pelas coisas que eu gostava e era bem violenta. Eu falei várias vezes para minha amiga ficar longe dela porque ela não era boa pessoa mas ela nunca me escutou ( ela nunca me escutava também quando eu alarma-va sobre garotos babacas que ela insistia em namorar) e então eu pensei, se ela não vai me escutar talvez eu tenha que fazer a Mara ir embora conversando com ela, então foi o que eu fiz, mas a situação ( obviamente) saiu do controle e ela fez minha amiga pensar que eu era muito ciumenta e a trouxe para o ciclo de amizade tóxico dela. Nós brigamos e depois disso paramos de nos falar por um bom tempo.
3° bandeira vermelha: Reconciliação.
Após muito tempo sem se ver, eu tinha me arrependido pelas coisas que falei e realmente acreditei que eu era apenas ciumenta e deveria pedir desculpas, e foi isso que eu fiz, eu pedi desculpas e ela também e nos abraça-mos, eu estava tão feliz, eu pensei que a gente era melhores amigas de novo e que tudo iria voltar a ser como era antes, bem não foi bem assim. Não nos falamos mais, ela criou um novo ciclo de amizade e eu também, os assuntos não eram os mesmo e acabou que o pedido de desculpas foi só pra não ter peço nas costas. Mas mesmo assim eu pensei "sem ódio, o que importa é que não estamos mais brigadas e é isso que importa" e assim foi, a vida continuou. Mas a história acaba aqui? Bem eu queria, mas não.
4° e última bandeira vermelha: Fofocas.
Lá estava eu com meu amigo ( vamos chamá-lo de Caio ) eu e ele estávamos apenas conversando no final da aula como fazíamos, mas ele estava agindo diferente. Ele não estava conversando muito e ria baixinho de vez em quando, eu não perguntei o porque pois eu queria respeitar o espaço pessoal dele e porque provavelmente não era da minha conta. Mas de repente ele para a conversa e fala: " Ei, é verdade que você gosta de mim?" Eu fiquei congelada no lugar, eu nem sabia o que disser, como ele sabia da minha quédinha por ele que eu tive no 4° ano? Eu não tinha contado pra ninguém, só pra... " Ei Caio, uh quem te disse isso?" Ele respondeu ainda com um grande sorriso em sua cara: " a foi a fulana ( minha melhor amiga ) ela disse que se gostava de mim e tals." Eu nem sabia o que responder, porque ela diria isso pra ele?? Eu fiquei furiosa, nós não éramos mais amigas mais ela sabia que o Caio era meu amigo! E melhor amiga ou não isso era totalmente babaca da parte dela contar um segredo constrangedor meu. Eu nem sabia o que responder, soltei a resposta mais rápida que pude pensar: " Ah... hehe é bem, eu gostava mesmo mais... Isso já faz muito tempo e hoje eu não sinto mais nada." Após isso eu vi seu grande sorriso totalmente desmoronar lentamente, e ficou um silêncio horrível entre nós, bem o Caio não conversou mais direito comigo depois.
eu nem sei o que pensar sobre ela hoje, e tenho medo de ela ter contado mais segredos constrangedores sobre mim. Bem foi isso, muito obrigado por ler até aqui! Até o próximo desabafo eu acho kkkk
submitted by Novel_Resident_ to desabafos [link] [comments]


2020.11.20 20:42 MaryColds Hj eu tive um sonho muito bom (*´ω`*)

Eu sonhei q fui na casa de uma vizinha aqui do prédio q era minha prof de reforço quando eu era pequena. Quando eu cheguei lá, tinha dois meninos numa rede, dois muleke sabe, de uns 10 anos por aí, eles tavam assistindo uma série no celular. Aí eles me chamaram pra assistir com eles, aí eu deitei na rede e fiquei lá assistindo, agente tava rindo muito.
Aí quando fui reparar nos muleke, era o cellbit nenê e o outro era um cara q era amigo dele, um muleke alto, canela seca, cibite baleado sabe, tinha um cabelo loiro.
Enfim...
Aí eu reparei q todo esse tempo eu TB tava criança, tipo, um 10 anos de idade, tava todo mundo alí com uns 10/9 anos.
Aí o Cellbo falo q tava na hora dele ir embora e saiu (Ele só fez uma leve aparição especial no sonho kkkkkk).
Aí eu e o carinha cibite baleado viramos muuuuuito amigos kkkkkkk
… Ele n me falou o nome dele, então vou chamar ele de… sla, Lucas? É, acho q Lucas é um bom nome kkkkkk
Aí a gente saiu pra brincar no parquinho do prédio e tal, aí chegou um outro muleke aleatório em cima do parquinho e falou "Mary, agora tu só anda pregada nesse muleke"
Aí o Lucas falou "é pq vc n viu o jeito q a gente se conheceu, parecia até início de fanfic"
Kkkkkkkkkkkk
Aí a gente saiu correndo pra brincar e tal.
Mano, de repente eu reparei, aquele corpo de criança, é tão bom, eu corria como se eu tivesse energia pra eternidade, era muito legal, n cansava, era muito bom.
E o Lucas era tão alegre, tão energético, a presença dele era tão boa, ele era tão infantil, me fazia bem só de ver o sorriso dele. Era tipo eu atual, no corpo de 10 anos com um pouco de consciência de hj sabe, mas bem pouca. Era revigorante.
Aí teve uma hora lá que a gente brigou por algum motivo, parece q ele tava tipo com ciúme de mim, mas eu n reparei isso ele tb n sabia explicar o q era pq tava todo mundo criança kkkkkkkkk
Aí a gente brigou.
Eu saí p*** da casa dele, descendo as escadas p*** kkkkkkk, e vi o pai dele subindo. Aí o pai dele perguntou:
(Específico né? Psé, ele tava certo, o meu subconsciente me conhece muito bem kkkkk. É q tipo, eu sou assim mesmo kkkkkk, se hj em dia um amigo meu brigasse comigo e de repente parasse de falar comigo ou algo assim eu sumia, tipo, deixava mesmo de existir na vida daquela pessoa, achando q o melhor a se fazer seria deixar de fazer o mal q eu provavelmente faço na vida daquela pessoa. N sei se deu pra entender.)
Aí eu li o bilhete e nele tinha escrito algo assim:
"Eu n quero q vc suma, só q vc... seja só minha, pq eu já sou só seu..."
Fofo né? E muito criança kkkk
Eu quando vi fiquei muito envergonhada com o coração aquecido sabe, só q como eu era criança no sonho eu n sabia o porquê daquele sentimento kkkkkkkk
Aí, quado eu termino de descer as escadas, do lado de fora, tem um monte de muleke arrodiado num canto, eu vi aquilo e fui correndo lá ver de curiosa kkkkkkk
Aí os muleke fala "ELA CHEGOU!"
Aí eu vejo um muleke lá segurando o Lucas pelo braço a força e chega outro muleke e me pergunta "Vc aceita se casar com o Lucas?"
Aí eu e ele olha um na cara do outro e fala "EEEEEECCCCCAAAAAA!!!!!!!! DEUS ME LIVRE!" Kkkkkkkkkkk De novo, bem coisa de criança né kkkkkkkkk
Aí do nada corta pro futuro, eu atualmente e ele grande. O cara ainda cibite baleado e cabelin loiro, porém um prédio de altura.
Aí tem tipo uns amigo meu lá q n sei quem é falando "Vai! Vai logo! Vai logo! Fala!" pro Lucas.
Aí eu fiquei aguniada, meti o Loko e falei o q eu imaginava o q era, falei bem rápido "Quer namorar comigo? Não né? Então ta, amanhã a gente se vê!" E sai quase correndo de vergonha kkkkkk
Aí ele grita - Espera! - O q? - É… - É oq?
Aí ele vira de costas e fala "Sim..." com a cabeça abaixada de vergonha. Aí eu corro e pulo nele e dou um abração com ele de costas, e foi tãããooo booommmm (◡ ω ◡). e
Aí eu acordei, e até agora tô chateada por essa criatura não existir kkkkkkk
Ele n era o menino mais bonito, mas, a alegria dele, aquele sorriso, aquela infantilidade, aquela vontade de viver, parecia q me tirava toda a ansiedade, curava até depressão _^
🤗
Se alguém q leu esse poste teve um sonho interessante, bom ou ruim, conta aqui nos comentários, amo falar de sonhos _^
submitted by MaryColds to desabafos [link] [comments]


2020.11.18 23:50 pao1234542345 bonzi ccreepypasta

estava em uma noite de 2007 solitario mexendo no meu computador conversando com alguns amigos no msn, ate que algum deles
me mandou um link meio suspeito, o link se chamava "bonzi.link" e ele falou que era gta san andreas de graça, na epoca
eu queria jogar mt aquele jogo pois meu ps2 havia quebrado, esse meu amigo se chamava "senhorito legalzito" ou algo assim
bom, eu instalei o arquivo e no inicio parecia algo normal, eu estava jogando de boa ate que meu pc crasha, era algo
meio normal de se ocorrer pois ele era bem velho, eu liguei de novo e aparaceu um macaco roxo que se predominava de bonzi
fiquei sem entender nada pensando que meu irmão tinha passado uma pegadinha em mim, mas ele ficou na escola o dia inteiro
naquele dia, e minha mãe não sabia mexer em computadores na epoca, o tal de bonzi estava tu mora" ou "se tu n fizer tal coisa na escola tu ira ver" eu fiquei com bastante medo e desliguei o pc e fui pra sala assitir big bang theory.
mas tarde eu fui dormir e ouvir a voz do bonzi e ele com uns olhos vermelhos na janela, fiquei bastantes confuso e fui ver se era realmente real abrindo a janela e tinha literalmente nada, eu pensava que tava numa especie de pesadelo ent tentei fazer de tudo pra acordar mas n dava, ent eu comecei a ficar mais preucupado, eu fui pra sala e tinha um barulho de chiado aleatorio na tv, eu fui desligar e apareceu o bonzi com alguns sons de gritos altissimos e com os olhos vermelhos que nem na ultima vez, eu continuei tentando desligar mas n dava, n dava de jeito nenhum, ate que eu percebi que ja era 6 da manha e fui pra escola tentar esquecer daquilo, na escola eu tive aula de historia e um amigo meu tava pedindo cola pra aula, eu tava bastante cansado ent falei que não queria, e depois disso ele tirou um boneco de um macaco roxo na mochila, sem brincadeira, depois ele começou a fazer contato visual comigo e eu falei pra professora que queria ir no banheiro, eu na verdade estava indo pro gramado descansar um pouco, comecei a andar no gramado e pegar umas frutinhas e tudo mais, ate que eu achei uma placa que tinha "não olhe pro macaco" nela, eu olhei pra tras e tinha ele, o bonzi, so que 3 vezes maior e com uma boca sinistra, eu sinceramente acho que aquele foi o dia que eu mais corri na minha vida inteira, eu realmente fiquei traumatizado, eu fui depois da aula na casa do senhorito legalzito, que foi ele que passou essa merda de bonzi buddy ae que eu ja tava cansado, quando eu fui na casa dele eu perguntei pq ele fez aquilo e como ele conheceu o bonzi, ele falou que o bonzi foi do mesmo jeito que eu peguei, baixando ele sem saber o que era que nem eu,depois eu perguntei se tinha um jeito de se livrar dele e ele, ele falou que tinha dois jeitos, ou tu comprava um remedio chamado antivirus que era MUITO caro ou tu passava ele pra outra pessoa, eu perguntei quanto custava o tal antivirus e ele falou que e mais de 100 mil reais, ent eu infelizmente tive que ir pela segunda, eu escolhi um menino bem arrombado pra passar o bonzi, eu escolhi um chamado "chell", que era o maior bully da escola, se eu te falasse as coisas que ele fez tu iria ficar traumatizado, eu passei pra ele falando que era fotos da hat kid pelada (hat kid era a menina que ele gostava), ele baixou e eu n vi o bonzi mas naquele dia, depois disso eu e o senhorito ficamos jogando alguns jogos e fomos dormir, mas isso não acabou por ae, no dia seguinte no recreio o chell foi roubar meu lanche e apareceu um portal negro gigante em cima de nos, so que ele não estava puxando nada por algum motivo, AE DO NADA O BONZI SURGE SO QUE SIMPLESMENTE GIGANTESCO, ERA MAIOR QUE O MONTE EVEREST SO PRA TER IDEIA, eu sai correndo pra aula de informatica que tava vazia e bem longe dali, e pelo o que eu vi o bonzi estava correndo atras do chell, o chell atropeçou numa pedra e o bonzi partiu ele ao meio e comeu, depois disso ele foi puxado pro buraco negro e eu nunca mais vi ele, e depois eu fui no link do bonzi novamente e tinha caido, ent eu acho que ele estava oficialmente morto.

creepypasta foda feita pelo mugman
(ficou com erro de espaço que no bloco de notas n ficou foi mal)
submitted by pao1234542345 to u/pao1234542345 [link] [comments]


2020.11.18 21:03 coldshadowbr COMO SE PREPARAR QUANDO VOCÊ TEM POUCO DINHEIRO

Preparar é muito mais do que simplesmente comprar coisas e empilhá-las no armário. O tempo que você gasta no preparo sem compras também é muito importante. É muito mais fácil pensar nas coisas agora quando você está calmo e bem alimentado do que tentar descobri-las quando você está sob estresse. Esta não é a hora de sentar e fazer streaming da Netflix ou fazer palavras cruzadas. Há muito trabalho a ser feito antes de chegarmos ao ponto em que não podemos fazer mais nada.
As chances são altas de que você não será expulso de sua casa por intrusos; e a menos que você more em um lugar que possa ser atingido por desastres naturais realmente terríveis (furacões, tornados, tsunamis, etc.), é uma aposta bastante segura fazer que você possa estar em casa quando uma emergência acontecer . Francamente, o lar é o lugar mais seguro para se estar, a menos que haja uma ameaça direta de qualquer maneira - as coisas estão onde você as coloca, você tem acesso a muito mais bens e suprimentos do que pode carregar com você - há tantas vantagens de modo que, se for uma opção, eu recomendaria ficar em casa numa situação de emergência do que sair dela..
Com relação a compra de lanterna, mochila, equipamento, etc , não faça isso . Não se você não tiver dinheiro sobrando.
É muito importante, se você tiver muito pouco ou nenhum dinheiro extra a cada mês, que esse dinheiro não vá para alimentos e equipamentos caros de sobrevivência.
Se você tivesse algum dinheiro extra disponível, o ideal é comprar alimentos de longa duração como arroz, feijão e os itens básico de uma preparação.
Tem um jardim? Comece a plantar laranjeiras, limoeiros, bananeiras - tudo e qualquer coisa que dê frutas ou vegetais de sua preferência, de preferência. Eles crescerão por si só, com pouca ou nenhuma atenção de você. Isso pode custar um pouco, ou pode custar nada (se você tem amigos que estão dispostos a permitir que você tire partes de suas plantas ou mudas), mas uma coisa é certa - no longo prazo, você terá comida de graça, e você continuará a conseguir essa comida de graça mesmo depois de uma situação de emergência. A horta e árvores frutíferas também devem ser capaz de ajudar a reduzir seu gasto com alimentos e ao longo do tempo, especialmente se você começar a fazer geleias e picles com o excesso de frutas e vegetais, o que o ajudará a economizar para outras preparações no futuro.
Como se preparar sem comprar mais coisas:
Aqui estão algumas coisas que você pode fazer para se preparar. Faça uma lista e comece.
1 - Encha todos os seus recipientes com água. Uma garrafa cheia de água ocupa o mesmo espaço que uma garrafa vazia. Vá até sua casa e encha todos os recipientes que puder com água.
2 - Organize seus suprimentos. Se você comprou um monte de coisas em um frenesi - e vamos ser honestos, muitos de nós compramos - você pode tê-los empilhados em uma pilha precária em alguma área da casa. Aproveite o tempo para organizar sua comida. Você pode fazer isso de maneiras diferentes - organize os ingredientes para as refeições, organize todos os vegetais em uma área, todos os grãos em outra área ... não importa como você decida fazer isso, a organização o ajudará a ver o que você tem em mãos.
3 - Faça um cardápio. Enquanto você organiza seu estoque de alimentos, crie alguns planos de refeições com base nos suprimentos que você possui.
4 - Organize os itens de primeiros socorros e suprimentos médicos. Junte todos os itens de primeiros socorros, medicamentos, remédios controlados e suprimentos médicos para ver o que tem. Pense em como você pode improvisar qualquer coisa que esteja perdendo.
5 - Organize outros suprimentos. Eu mantenho meus suprimentos em kits. Tenho um kit de queda de energia com velas, isqueiros, lanternas, baterias, carregadores solares etc. Tenho um kit pandemia que criei em 2014 com máscaras, luvas, e outras coisas específicas para um pandemia. Eu uso grandes caixas plásticas para esses kits, mas você pode usar qualquer coisa: caixas de papelão, até mesmo o espaço em uma prateleira.
6 - Faça uma verificação de segurança doméstica. Saia e dê um passeio ao redor da sua casa. Há coisas que precisam ser resolvidas para tornar sua casa mais segura? Você precisa aparar alguns arbustos para manter a área sob as janelas visível? Você deve proteger as janelas do andar de baixo para que não possam ser abertas facilmente do lado de fora? Você pode colocar uma trava no portão do quintal? A sua garagem precisa de uma fechadura? Concentre-se nas pequenas tarefas que você pode estar adiando para tornar sua casa mais segura.
7 - Faça um plano de segurança familiar. Os membros de sua família saberiam o que fazer no caso de uma invasão domiciliar? Caso contrário, você precisa fazer um plano. Os membros vulneráveis ​​da família precisam sair do caminho, e os membros da família que estão em confronto com os criminosos precisam saber quem está fazendo o quê, para não atrapalharem uns aos outros. Coloque armas potenciais em áreas estratégicas em pontos estratégicos da casa.
8 - Crie um plano de água de longo prazo. Onde você poderia adquirir água se não saísse mais das torneiras? Identifique os lugares onde você pode obter água - riachos, lagoas, rios, lagos e até mesmo fontes, se você estiver na cidade. Se não houver nada parecido, descubra como você poderia armazenar a água da chuva com mais eficiência. Certifique-se de ter uma maneira de purificar essa água.
9 - Dê uma olhada no seu orçamento. Existem coisas que você pode cortar agora para ajudar a se preparar melhor para uma crise financeira de longo prazo? Reduza despesas desnecessárias agora. Anote tudo que você gasta no seu dia. Ligue para seu banco para obter uma taxa melhor. Cancele algumas assinaturas (tv a cabo, netflix, amazon prime, etc). Encontre um plano melhor para o seu celular.
10 - Passe algum tempo aprendendo. Se você está em quarentena, aproveite ao máximo seu tempo aprendendo novas habilidades e adquirindo conhecimentos. Aprenda a fazer coisas, consertar coisas, cultivar plantas e reserve algum tempo para encontrar soluções à moda antiga. Este é um ótimo momento para aprender algumas novas habilidades. Leia alguns desses livros em sua pilha de leitura e confira os vídeos de instruções no YouTube.
11 - Limpe a casa e lave a roupa. Isso pode não soar como uma preparação, mas no caso improvável de a energia ser interrompida, seria realmente ruim começar com uma casa que precisa ser limpa e uma pilha muito alta de roupa suja.
12 - Avalie sua vizinhança. Se você ainda puder dar uma caminhada (sem entrar em contato direto com outras pessoas), dê um passeio pela vizinhança imediata. Identifique recursos, como riachos ou árvores frutíferas próximas. Pense em quais vizinhos têm maior probabilidade de ser aliados e quais você acha que podem ser problemáticos. Não é algo que você precise fazer agora mas é importante coletar informações.
submitted by coldshadowbr to sobrevivencialismo [link] [comments]


2020.11.14 03:40 dandanyami Um grande desabafo que ninguém vai ler atualização 13/11

Vocês se lembram disso? eu vim dar uma breve atualização porque você não precisa da lei de Murphy pra ela se provar real.
No antigo post relatei meus problemas financeiros e risco que corro de perder minha casa, com a faculdade e os bullyngs que sofro tanto por parte dos alunos da minha turma quando pelo meu orientador de curso que agora sempre que tento tirar duvida em aula ele me humilha na frente de toda a turma.
E agora passei por uma avalanche de coisa que eu não sei o que fazer, vou tentar seguir uma linha cronológica aqui.
Depois do post, descobri que por algum motivo um amigo meu surtou em relação a mim, me bloqueou em tudo e falou para varias pessoas o quanto ele tinha dedo podre pra amigos, alem de indiretas me chamando de falsa eu realmente não ei o que fiz, ele me conhece a mais de 10 anos, fiz muita propaganda do trabalho dele como artista, e nos ultimos meses só fico em casa estudando que nem maluca.
Acho que foi um baque confuso, mas eu não tive tempo pra assimilar nada pois comecei a vomitar demais, aparecer enormes hematomas bem escuros pelas minhas pernas sem eu bater, e depois de suas semanas sem ingerir nada porque vomitava tudo, fui em um hospital (contra a vontade da minha mãe que dizia que era só drama meu), e bem, fui encaminhada pra um centro de consulta como caso de urgência, os médicos de la me fizeram fazer um monte de exames, tanto que demorou um mês pra tudo ficar pronto. E, lembram do ataque cardíaco do meu pai? em 2017 eu fiz tratamento para depressão e síndrome do panico, o médico me passou doses altíssimas de um remédio que é PROIBIDO para pessoas com histórico de doença cardíacas, e eu estava com sequelas. Resumindo minha vesícula desde então começou loucamente a produzir pedras, e obrigava meu corpo armazenar gordura para ela poder produzir pedras, por isso eu não conseguia perder peso.
E quando fui conversar com minha melhor amiga, que nem da cidade é, ela tava estranha e quando perguntei sobre isso ela surtou também, temos amizade a 9 anos e ao mesmo tempo em que ela começa namorar uma menina, que eu sinceramente acho que só ta com ela por interesse, ela simplesmente surtou comigo, e eu com uma vesícula sem funcionar não tava muito bem pra discutir, mas ela nunca mais falou comigo e fica postando indiretas deixando bem clara que a namorada dela me "substituiu".
Agora com uma casa pra perder, um coordenador de curso me humilhando na frente da turma sempre, uma vesícula pra tirar por cirurgia e risco das pedras descerem para o pâncreas e dar pancreatite, ou ficarem se arrastando na parede da vesícula provocando necrose ou hemorragia interna, vocês acham que não pode piorar?
Garanto que pode, hoje eu tive uma briga feia com a minha mãe sobre isso, eu não posso ficar andando e fazendo um monte de coisa pra não atingir o pâncreas ou começar a necrosar, e minha mãe todo dia grita comigo ou briga comigo porque tenho que ajudar a arrumar a casa, no meio do ano ela tava trabalhando no tcc e eu fazia absolutamente tudo na casa sozinha porque queria ajudar ela, enquanto me virava com as aulas e trabalhos, mas as ordens de eu ficar quieta na cama foram bem claras.
Minha mãe sempre teve essa mania de desacreditar nas minhas doenças e já quase me matou de pneumonia por causa disso, porque ela tava convencida que era invenção minha, sendo que eu tava com febre muito alta. Isso fica pra outra história mas deixo claro que ela não é antivacina, ela por algum motivo não acredita quando falo que to doente, nunca menti doença, mas ainda assim sempre que tenho algo sério e como se eu tivesse só vagabundeando.
A briga foi feia porque pedi um pouco de paz pra descansar, ela levou pro lado pessoal, eu acabei me exaltando por ela falar que eu só causava estresse nela também disse que já que só trago estresse eu não queria ninguém me acompanhando na cirurgia, resultou num block em tudo e ela fingindo que não existo na minha própria casa.

resumo, prestes a perder a casa, perseguida pela turma e orientador, sem amigos nem distantes pra desabafar e com minha mãe com raiva de mim, é isso ai, sempre piora.
Devo estar sendo punida por algo de uma vida passada, vai ver fui o Hitler
submitted by dandanyami to brasil [link] [comments]


2020.11.11 03:12 Ruivazs Trai a confiança do meu namorado e ele perdoou

Estou sofrendo muito com uma situação muito séria. Namoro há 3 anos e errei muito no relacionamento, eu conheci ele quando tinha 18 e ele 25 isso me fez mentir mt coisa pra parecer experiente. Primeiro eu era virgem, mas menti pro meu namorado atual que já tinha transado mto, eu falei isso no início pq ele é mais velho que eu e achei que ele não ia me querer por achar que eu ia me apaixonar por transar pela primeira vez aí depois não consegui mais desfazer a mentira. Escondi isso por 3 anos quase! Mês passado contei tudo, contei que transei pela primeira vez com ele, ele entendeu tudo e disse que não ficou chateado. Quando contei isso me deu vontade de contar TUDO que já havia escondido pra ele, pois bem, eu conversava no Instagram com homens, amigos que me diziam que eu era bonita e eu achava isso legal e nunca cortava, eu não flertava de volta nem nada, mas não cortava, eu sempre contei pra eles que namorava, que queria ser amiga deles ou qualquer coisa do tipo, mas namorava. Hj em dia acho que conversar com eles era errado porém, eu percebi que gostava de receber essa atenção deles. Outra coisa errada é que um dia tava sem fazer nada em casa e encontrei um app de live, onde vc cria uma live e aí todo mundo entra pra falar com vc entrei nesse app e fiquei lá conversando, um monte de gente me elogiava e eu gostei disso, não fiz nada tipo, não tirei a roupa, não respondi nada que fosse escroto só gostei da atenção, eu usei esse app uma vez só e dps parei. Outro erro é que já duas vezes homens pediram meu número do celular, um falou que era pq queria ter companhia pra ir na academia e o outro pq queria pegar ônibus comigo, eu dei os número, mas nunca falei com eles nunca, um deles eu até dei Block!!!! Gente, eu quero dizer pra vocês que contei tudo pro meu namorado tudo isso mesmo, com todos os detalhes mais do que contei aqui pra vocês, ele me perdoou POR TUDO! Disse que não tinha problema, que não achou grave. Eu contei tudo isso pra ele chorando, pq estava tendo crise de ansiedade pra contar tudo pra ele, bloqueei todos os homens que tinham interesse em mim no Instagram e fui totalmente sincera com ele. O problema é que não consigo me perdoar, pq ele é um homem bom e compreensivo, se fosse outro não seria tão compreensivo com ele foi. Eu penso em acabar o relacionamento com ele porque eu não consigo pensar em viver com um homem tão bom como ele é e eu ter sido tão escrota, eu me arrependo muito, nunca senti NENHUMA ATRAÇÃO SEXUAL pelos homens que conversei, juro por tudo! Porém queria ser notada. Eu me sinto bem por ter sido 100% sincera com ele, mas não entendo pq ele me perdoou.
submitted by Ruivazs to desabafos [link] [comments]


2020.11.09 06:41 maisumge Minha namorada me deu um ultimato

Tive uma discussão foda com minha namorada hoje e ela basicamente me deu um ultimato, mas não em um sentido abusivo ou escroto, foi mais um "sai da zona de conforto"
Contexto pra pergunta do final:
Meu antigo círculo de amizades era um lixo. Minha ex namorada me traia pra crl e descobri que ate alguns dos amigos que eu considerava pra crl fizeram parte disso. De la pra ca tive uns problemas com drogas e famliares que me deixaram numa depressão fudida (perdi 20 kg e lembro que teve uma época que fiquei mais de uma semana sem sair da cama, tipo, nem pra tomar banho) A dois anos atrás eu "melhorei", me isolei de todos os meus amigos e parentes e foquei só em ter um emprego, minha meta de vida era literalmente "vou viver um dia de cada vez e só esperar meu dia chegar" e tava dando muito certo ate uns meses atrás quando conheci minha atual namorada.
O problema é que por eu ter vivido tudo aquilo com minha ex e amigos e que por eu ter me afastado de geral me fez "bem" eu não consigo confiar 100% nela. Direto fico com paranóias em relação a ela quando ela simplesmente ta cuidando da vida dela (eu SEI que isso é um comportamento tóxico/abusivo e nem um pouco saudável (a gente ja ate conversou sobre isso e ja falei pra ela e ela vê que eu não quero ser esse tipo de cara, que faço isso só por essas coisas que vivi, mesmo sabendo que não é justo jogar esse monte de bagagem em cima dela))
O problema é que de uns dias pra cá a gente ta brigando muito por causa disso e tipo esse é literalmente nosso único problema como casal mas como ja ta acontecendo a um tempo ta ficando muito puxado pra ela (e pra quem não ficaria ?) E hoje ela me falou "Você tem que confiar em mim. E ver se vale a pena se arriscar de novo, precisa decidir o que você quer fazer"
E eu não soube dar uma resposta pq sei que ela ta certa e não sei mais como confiar nas pessoas.
O que eu faço ? Algum de vocês ja passou por algo parecido ? Sera que tenho só que ignorar totalmente as minhas paranóias e com tempo isso melhora/desaparece ? Ou é mais uma coisa de ela nao ser a pessoa certa e o fato dela nao me passar confiança só ta me mostrando que eu to insistindo no erro de novo ?
submitted by maisumge to desabafos [link] [comments]


2020.11.08 05:43 jogaforarapido Existe alguma coisa que ligue ideologias incels (?) a caras CASADOS e "de família"??

Então, sei que rola muito essa discussão de violência contra a mulher e que a eleição de bolsoanaro claramente impactou muito o crescimento de casos e deu carta branca pra "pai de família" branco hetero casado cristão ser uim grandessíssimo escroto entre as 4 paredes de casa.
O que tá me deixando MUITO intrigado ultimamente é: que porra tá rolando com o que esses caras andam falando por aí? Minha mãe sofre violência doméstica (em suma psicológica, patrimonial, financeira etc) e a mãe de uma amiga também, esses dois caras não são amigos e não convivem no mesmo espaço mas fazem e falam EXATAMENTE A MESMA COISA. Eles abusam de álcool algumas vezes, e sempre repetem as mesmas falas: ameaça de morte (mais especificamente tiro na cabeça), chantagem emocional no sentido de "te amo, amo a família, quero lutar por isso", chamar a mulher de sapatona (?), ficar um ciclo sendo "perfeito" e surtar em alguns dias por algo pífio, fazer muita questão de dinheiro, acusar a parceira de roubo, falar muito/mandar recadinho pelo whatsapp, dentre outras coisas.
Sei que isso envolve machismo, obviamente, alguns indícios de transtornos mentais e relacionamento abusivo mas eu tô simplesmente chocado e assustado em como isso tá acontecendo da mesma forma, como eles se comportam do mesmo jeito e como parece que isso tá acontecendo com um monte de mulher à minha volta, bastando reparar um pouco.
Mais alguém tá passando por algo parecido?? Esses caras se comunicam entre si ativamente sobre isso? Tô imerso nessa situação, sem ter muito o que fazer e com medo de que esses caras "trabalhem" juntos, sabe.
Ia postar no brasil mas precisa de karma e 5 dias de conta etc
submitted by jogaforarapido to desabafos [link] [comments]


2020.11.05 12:52 Felipemaconheiro Rodrigo Constantino falou nada de mais (textão importante)

ele só disse que algumas mulheres se expõem ao risco de transar bêbada e depois se arrepender, isso é estupro? a mulher curtiu, bebeu, se drogou, ficou com um ou vários caras, termina transando chapada e é encorajada a ir pra justiça punir o cara que não teve intenção alguma de violentar alguém, é só ver que a maioria deles são adultos réus primários e as mulheres são as conhecidas baladeiras, não julgo nenhum dos lados pois cada um se diverte como prefere, mas aguente as consequências de uma noitada cheia de drogas e parceiros, vale pro homem também
eu mesmo já fui pra shows e fiquei bebasso, guardo apenas flashs na memória depois mas não lembro de tudo oq ocorreu, falei várias coisas influenciado por drogas e não tenho direito de me eximir disso, é plenamente possível fazer algo bêbado que não se faria sóbrio, isso se aplica perfeitamente ao consentimento para o sexo, já que você já está lá se pegando a noite toda, quem já transou bêbado sabe como funciona e não me venha com porra de moralismos, vamos encarar a realidade cruel pós baladas e todos os seus efeitos, pois é muito fácil teorizar justiça do conforto de casa sem fazer uma análise do que você próprio buscou na rua, na balada
além disso Constantino chamou atenção para um fato supremo, feministas querem apontar o dedo pro homem correto, honrado, certinho, mas por que a mulher tbm não sofre esse controle? existe vagabunda também igual existe homem covarde, vamos medir o comportamento de todos igualmente para ver em qual conclusão chegamos sobre cada um, mas se você disser que tal mulher agiu igual uma puta mulher de bandido é crime, nossa que absurdo ele é machista por falar o que é de verdade
e eu não sou contra atitudes de "puta", é ótimo pro homem passar uma noitada de putaria, todo mundo ou já fez ou quer fazer, sem julgamentos, eu só quero assumir que é uma noite de putaria, que estou agindo igual cafajeste e que a mulher está agindo igual vagabunda, e dai? é divertido e faz parte da liberdade individual de cada um, só não venha depois se fingir de santo, falar que foi sem querer, que foi a bebida ou influência de amigos, porra nenhuma
pra finalizar observe nesses casos surgindo aos montes de suposto estupro pós balada, geralmente a mulher denuncia devido a uma culpa, seja por perder a virgindade que é uma coisa sem volta, seja por trair o namorado e se arrepender ou por vergonha da família, até em questão de nudes a mulher manda rindo atoa e cheia de tesão, mas se vazar ela fica com vergonha do pai e diz que foi manipulada pelo whatsassp, então a auto depreciação da mulher garante um crime nas costas do homem posteriormente? que lei do cão é essa?
as feministas estão influenciando leis, destruindo famílias, retirando empregos e prendendo gente inocente, só acha isso normal quem é retardado, eu tenho nada contra liberdade sexual, repudio violência doméstica ou tratamento desigual no trabalho, mas esse desejo de vingança e ódio por parte de mulheres frustradas virou uma insanidade e todo mundo está caindo nessa
submitted by Felipemaconheiro to brasilivre [link] [comments]


2020.11.05 03:45 Fiorajj PRECISAMOS SALVAR O GENSHIN! (DESABAFO) LEIA ATÉ O FIM!!!

Olá, você provavelmente não me conhece, nunca usei o reddit, costumo usar bastante a Twitch. Meu jogo principal é o League of Legends, sou Mestre lá, jogo há 8 anos. Como muitos que vieram para o Genshin de lá ou de outros jogos, estava em busca de paz. Precisava de um jogo que eu conseguisse sair desse ambiente hostil e competitivo que domina os jogos atualmente, causando estresse e ódio. Eu queria diversão, fazer amizades, fazer parte de uma comunidade, poder conversar sobre o jogo e descobrir coisas novas, explorar um mundo novo. Eu estava passando por um momento difícil, que não enxergava mais motivo pra existir, com toda essa situação com a pandemia e problemas pessoais, eu implorava por algo que me fizesse querer acordar e sair da cama. Pois então chegou o Genshin na minha vida. Como eu poderia descrever esse jogo? Usam muitas palavras por aí, concordo com algumas, Obra de Arte? Incrível? Cativante? sim, o jogo é tudo isso, mas é muito mais, esse jogo veio pra provar uma coisa, e eu vou falar mais pra frente. Vamos então focar no assunto principal que veio me fazer escrever esse texto como forma de desabafo, pois não aguentava mais esse sentimento dentro de mim.
GENSHIN IMPACT ESTÁ REALMENTE BOM?
Vamos lá, todos nós temos que concordar que a proposta do jogo é incrível, a história é cativante, o mundo é super legal, as mecânicas são extremamente interessantes, os baús, os mobs, os boss, o mundo em si, o sistema de elementos, tudo isso nos faz querer jogar por horas e horas todos os dias desde que o jogo lançou, e estamos viciados, eu inclusive teve um dia que joguei 25 horas seguidas. Viciados a ponto de querer gastar nesse jogo, que a princípio é free, afinal ninguém é obrigado a botar dinheiro, certo? então... aqui temos um ponto. Pra quem está jogando Genshin, sabe que passando do Rank de Aventura (AR) 30+, o jogo se torna meio repetitivo e frustrante. Pois nós queremos logar e jogar por horas e horas, evoluir nossos equipamentos, personagens, queremos explorar o mundo e ter desafios, nos juntar com nossos amigos e fazer o que quisermos. Aí que está o problema. Depois do fim das quests, do fim dos baús do mapa, e do uso da resina diária, NÃO TEM ABSOLUTAMENTE NADA PRA FAZER. Vamos falar de números, pra quem acha que o jogo é justo? Vamos.
XP. Fiz um cálculo bem simples de quanto de XP precisa pra upar um nível de um personagem 70+.
XP Necessário do nível 70 ao 71 = 138175. Se você não tiver resina pra upar, você vai ter que matar mobs/boss no mapa. Cada boss/mob em média dá 35 de XP. 138175 dividido por 35 = 3.974... Supondo que o tempo entre teleportar, caminhar e matar cada mob em média demore em torno de 15 segundos. são 4 mobs por minuto. Ou seja, 35x4=140 de XP p/minuto. Se você jogar 10 horas no dia, serão 140x60=8400x10=84000. Não dá um nível no dia INTEIRO, sendo que tem o tempo de respawn, daria quase um mês pra upar UM NÍVEL.
Os baús. As recompensas são pequenas por achar um baú, tudo bem, o mapa é grande, tem vários... Mas e quando você acha todos, acabou? Pois é, não sabemos ao certo o respawn certo dos baús, não sabemos qual vai nascer, onde, com qual recompensa, então basicamente teríamos que ficar horas e horas por dia todos os dias do mês pra achar em média 15/30 baús contando que você já tenho achado a maioria. Então pra achar baús, basicamente não temos incentivo.
Artefatos. O jogo nos dá bastante artefatos, se você ficar horas e horas por dia matando boss, fazendo domínios, fazendo as rotas, etc. Com muita sorte você consegue artefatos bons, mas e se você quiser upar eles? Pois é... precisa de XP e MORA. Ou seja, você com muita sorte gastando muito tempo, esforço e resina, consegue um artefato bom, mesmo sem ter a chance de testar ou trocar se necessário, você sem conhecimento vasto do jogo começa a upar seu artefato. Pronto, você tem um personagem com artefatos medianos/bons. E agora? é, não tem mais mora. Se você quiser trocar de build ou upar mais personagens, vai precisar de uma quantidade COMPLETAMENTE ABSURDA de recursos, que o jogo NÃO TE PERMITE PEGAR. Então você fica preso com o mesmo personagem, com a mesma build, sem baús, sem resina, sem conteúdo no jogo pra fazer.
Resina. Gente, se você é f2p ou um cara que gasta o básico no jogo, NÃO É POSSÍVEL que você defenda o sistema de resinas atual. Não consigo acreditar que em sã conciência alguém ache normal você logar no jogo, jogar 30 minutos pra fazer 2 bosses semanais pra não ganhar absolutamente nada, ficar sem resina. Ou vamos lá, você precisa de mora ou XP, ou artefatos, você faz 5 ou 6 domínios que demoram no máximo do máximo 1 hora... e agora? ''ah eu tenho a benção, eu dou refill de resina.'' Pois então, mais uma hora de conteúdo, e agora?...
Gacha. Chegamos num ponto crucial aqui. Se você como eu nunca jogou um gacha, deve estar se acostumando com alguns fatos, vamos a eles:
- Um gacha não é feito pra você ter tudo.
- Você precisa saber administrar seus recursos.
- Se você quer, pague. Quer mais? pague mais.
Não estou aqui pra atacar o sistema de gacha, acho que o sistema de monetização do jogo é livre pra ser escolhido pelos desenvolvedores, não acho errado uma empresa querer lucrar.
Mas gente, não é possível, parem de jogar que nem uns cracudos e colocar dinheiro no jogo sem propósito pra receber migalhas, parem 5 minutos pra pensar aqui comigo e reflitam.
Você precisa de 80 tiros pra pegar um item 5 estrelas no banner. São mais de 500 reais na moeda do nosso país, é metade de um salário mínimo. Pare e pense, São poucas as pessoas que tem condições de ter um Celular bom, ou um Computador decente que rode Genshin, e dessas poucas pessoas, existem alguns mais privilegiados ainda, que gastam uma fortuna no jogo. Que imagem você acha que as empresas vão ter se, bom, um jogo bombou no nosso país, e as pessoas gastam um monte de dinheiro com preços abusivos, pq baixar? Essa discussão dos preços veio antes dessa mudança dos preços nos jogos em geral, que aumentou no Genshin também. Muita gente reclama da falta de conteúdo no jogo, mesmo quem quer gastar no jogo, mesmo até quem não reclama e gasta, não consegue atingir nada de mais. Eu não sou de família rica. Tenho uma condição baixa/média. Poderia colocar uma quantia baixa mensal num jogo, 20 reais, 30, 50... eu coloquei a benção por exemplo quando tava 18,90. Mas cara, você ter que gastar uma fortuna pra ter um personagem que você não vai conseguir nem upar direito, e mesmo que upe, não vai conseguir fazer nada no jogo, pois o jogo te prende, não deixa você evoluir. Se tivesse pacotes com preços acessíveis, se o jogo tivesse respawns nos bosses e nos baús de forma mais organizada, como por exemplo tivesse uma recompensa de 10 resinas se você conseguisse matar um boss sem perder vida, sei lá cara... pisos rotativos no abismo com recompensas variadas... rankings semanais... Respawns de baús mais organizados, que você pudesse ser mais recompensado por ficar horas procurando baús ou bosses no mapa, explorando, afinal essa é a graça do jogo. Imagina que louco, assim seria justo, quem joga mais, ganha mais recurso, e o jogo não fica desparelho, afinal quem joga 1 hora ou 2 horas por dia, que trabalha e tal, esse cara já tá satisfeito, ele não vai gastar dinheiro no jogo. Quem quer evoluir e gastar somos nós, que passamos 10, 15 horas por dia, e ainda queremos ficar mais. Eu fico no banho pensando em estratégias de farm ou pro abismo, builds, comps,me organizando, mas chega no jogo não posso por nada em prática, pq não tem resina. Aí vem o pessoal falar: "Ah mas o jogo não tem culpa que você rushou igual um cracudo, agora não tem conteúdo e fica reclamando." Esse argumento é falho. Eu jogo online desde 2006, jogo vídeo games desde minha infância, e eu NUNCA VI UM JOGO INCENTIVAR VOCÊ A DESLOGAR. Cara isso é totalmente inacreditável. Você loga num jogo por exemplo, o lol. Joga lá 30 minutos uma ranqueada, se estressa fica puto e quer sair do jogo. Você chega no Genshin, joga 10 horas sem o jogo te incentivar, e ainda quer ficar mais tempo. MAS CARA, ME ESCUTA, O JOGO NÃO DEIXA. O JOGO NÃO ME DEIXA JOGAR. EU QUERO JOGAR GENSHIN. EU AMO ESSE JOGO. ME ESCUTA, EU AMO ESSE JOGO, EU ADORO OS CRIADORES DE CONTEÚDO, ADORO A COMUNIDADE, ESSE JOGO ME FAZ FELIZ. MAS ELE NÃO ME DEIXA JOGAR. Não tenho o que fazer no jogo. Eu mostrei os argumentos, mostrei os números, e você ainda quer negar?
Enfim. Eu escrevi tudo isso pois amo esse jogo e quero a melhora, eu quero que a gente pare de aceitar as coisas, e tentemos mudá-las. Não sou a favor de boicote, ou de ficar baixando a nota do jogo na apple store ou coisa do tipo. Mas eu peço, por favor, se você gosta de jogar Genshin, vamos nos unir, vamos ajudar a construir um jogo decente, que agrade o jogador casual que loga 30 minutos por dia, e o cara que quer jogar 10 horas por dia e ter resina pra conseguir seus artefatos e upar seus personagens. Vamos buscar preços justos. Nós podemos. É possível. Não aceite injustiças. Se você não concorda com as reclamações, tudo bem, só não fique contra. Não atrapalhe quem quer melhorias. Mas se você aí que leu até o final, quer um jogo justo, um jogo que você possa destrutar de horas de gameplay sem ter que participar desses eventos ridículos, ter que fazer conquistas pra ganhar 5 gemas, ficar 5 horas procurando baú pra ganhar 2 gemas e um artefato 1 estrela. Você que quer essas melhorias, ESPALHE A PALAVRA. Espalhe esse post, fale sobre isso no feedback do jogo, fale com seus amigos, com sua comunidade, com seu criador de conteúdo favorito. Esse é meu desabafo. Espero que tenha tocado alguém, que alguém tenha se identificado. Espero também não ter ofendido ninguém. Só quero jogar Genshin e não receber migalhas por isso. Fiquem bem, paz, saúde e até mais!
OBS: Não parei ainda de jogar, mas se não houver mudanças irei, como muitos já estão parando, não pq o jogo é ruim, mas pq nos incentiva a isso.
submitted by Fiorajj to GenshinImpactBR [link] [comments]


2020.11.04 05:05 Mr-Smoketoomuch Briga com o sogro

Vou tentar ser breve no relato, mais tem coisas que eu tenho que explicar senão o resto não faz muito sentido. Namoro com ela a 1 ano e 4 meses, nesse tempo fui na casa dela uma 10 vezes no max, passando sempre menos de meia hora.O motivo = o pai kuzão
Mais quando eu falo kuzão, é kuzão mesmo, o cara sempre me esnobou, das vezes que nos cruzamos o maluco fez questão de me fazer eu me sentir um *****, me humilhar e tripudiar. Além do fato de eu comer a filha dele, o outro motivo pelo qual ele me odeia é aquela clássica diferença de classe, quem assistiu algumas das 30 temporadas de malhação manja como é. Não sou pobrão master, mais meu trabalho não é la essas coisas, e eles são de família rica,gerações e gerações de engenheiros e tal, rios de grana.Como a filha dele foi se apaixonar por mim? Outros 500. O maluco achar que eu to ali por causa do dinheiro já é um motivo escroto,tendo em visto que a filha é linda,até se fosse favelada eu olharia do mesmo jeito,mais [email protected], FAZ MAIS DE UM ANO,custa o maluco levantar bandeira branca e ficar em paz?
Explicada a situação, vamos aos fatos- Minha família foi viajar pra casa de uns parentes,eu trabalho,não pude ir.Quando você namora,e sua namorada não curte seus amigos, inevitavelmente você se afasta dos caras, é o famoso "ou eles ou eu" Sem família,distante dos amigos,não tinha outra alternativa a não ser ficar com ela. Eu odiei a ideia, lógico, mais ela insistiu, disse que não tinha problema e que tudo ia acabar bem, Ô. A mãe dela não é necessariamente uma [email protected] rica,sempre me tratou com educação, a mesma educação que ela tem com os empregados, mais ok. Tem uma irmã também, mais é adolescente rica autista, não esboça emoção, não é gata e não faz diferença, só citei porque ela também estava na mesa.
A TRETA- Vamos pular pra ceia, Já podem imaginar que o sogrão "gente boa" além de não olhar na minha cara, fez questão de mandar indiretas,a fim de humilhar este ****** que vos fala. Começou aquela palhaçada depois da meia-noite, começou o que eu vou chamar de rage-time: Primeiro rage-time: A empregada servindo todo mundo,chegou na minha vez ele INTERROMPEU a mulher,falou pra ela deixar os negocios em cima da mesa lá que eu sabia me servir sozinho, que tava acostumado com self-service. Imagina aí já minha cara de lixo. Minha namorada,que não enfrenta o pai, fez um olhar de tristeza e me serviu, eu pensei em outras coisas, tentei relevar. Segundo rage-time: Meu telefone tocou,minha mãe querendo dar feliz natal,fui atender na inocência,ele deu UM SOCO na mesa, -VOCÊ NÃO SABIA QUE ISSO É FALTA DE EDUCAÇÃO NÃO ? "MALANDRO". Essa minha mãe ouviu,levantei da mesa e fui falar com ela,voltei,ele tinha tirado meu prato da mesa (rs) A essa altura, vocês já imaginam o quão **** eu tava, [email protected] a ceia, [email protected] tudo, nem fome eu tinha mais. Minha namorada empurrou discretamente o prato dela pra mim, disfarçando perguntou quem era, falei baixinho que era minha mãe. Rage-time final:O filho da **** TINHA que fazer piadinha com a minha mãe né caras, Quando ele ouviu fez o comentário, dessa vez direto pra mim: -E a patroa da sua mãe deixa ela ligar pra celular? é muita folga, aqui empregada folgada assim comigo se *. Não dava mais, eu ia me sentir um ** pro resto da vida se eu não quebrasse os dentes daquele maluco ali mesmo Tá bom que ia acabar o namoro, ta bom que eu também podia apanhar,que ia acabar com o natal da família,mais ofender assim alguém que nem ta ali pra se defender, alguém que eu sei que dá um duro do ******* pra viver ser motivo de gracinha pra quele lixo de pessoa. Toquei o *-se,não lembro exatamente as palavras porque tava muito nervoso mesmo,mais foi mais ou menos isso: -ESCUTA AQUI Ô SEU MONTE DE **,VOCÊ QUERER TIRAR COM A MINHA CARA JÁ DURANTE UM ANO É UM BOM MOTIVO PRA EU TE QUEBRAR,AGORA OFENDER A MINHA MÃE SEM MAIS NEM MENOS. Nessa ele me interrompeu simplesmente gritou -FALA BAIXO SEU FAVELADO e jogou o copo em mim,pegou no meu braço. Imagina o caos que tava essa mesa, minha namo tentando me segurar,a esposa puxando ele, a outra louca autista chorando, Eu naquele ódio já tava disposto a matar ele ali mesmo.Ele veio,dando a volta na mesa igual um touro pra me pegar, eu firme encarando ele,enquanto ele vinha eu via a janela da sala de jantar grande de fundo Vi o que parecia ser uma aeronave não tripulada pequena passando rápido, logo atrás uma especie de exoesqueleto metálico armado com uma metralhadora, de repente, um estrondo ensurdecedor seguido de um clarão. Era o início da era das máquinas.
submitted by Mr-Smoketoomuch to Copicola [link] [comments]


2020.11.01 02:11 contro1game O desfecho da bosta

Hj eu fui na casa dela (principalmente pq ontem ela ameaçou me processar e definitivamente não queria que isso fosse adiante) levei um monte de exame pra mostrar pra ela. Engraçado que quando eu cheguei logo na casa dela parecia que o relacionamento não tinha acabado ent ela ainda tava agindo como minha “namorada” tentando me abraçar lol ;-; .
Dps de mostrar todos os exames, ela ficou brava ainda por eu não ter contado durante o relacionamento que tive câncer. E finalmente admitiu o óbvio dps de eu perguntar com quem ela me traiu, ela respondeu que pensou que fosse meu msm (não sei se isso é bom ou ruim lkkk), mas. Segundo ela quando um amigo que mora em outro estado veio aqui na nossa cidade, acabou dando em cima dela e deu nisso e disse que foi só uma vez ent agora acredito que ela vá atrás dele. Dps disso eu vazei e ela pediu desculpa, falei que ainda poderia fazer o teste de DNA como vcs me aconselharam a fazer.
É isso guys pra não é exatamente uma boa experiência pra um primeiro relacionamento (não sinto muita raiva dela, tô me sentindo mais triste por não ter sido o suficiente msm; acho que ela vai aborta tbm ela mencionou bastante essa ideia quando eu tava lá)
submitted by contro1game to desabafos [link] [comments]


2020.10.28 02:01 phfw Estraguei completamente com meu relacionamento e possivelmente traumatizei minha ex

Bem,aconteceu faz um bom tempo mas ainda não sei lidar bem com a situação. Tudo começou com uma amiga se confessando pra mim,e eu gostava dela também (até falei um monte de bobagem melosa sobre ela com um amigo kkk) e disse que também gostava dela,depois de um tempo de conversa pedi ela em namoro e ela aceitou uhuu.
Ela era bem complicada,me falou de vários de seus medos sendo uma menina,de ser abusada,desrespeitada e coisas assim. A ponto de ficar em choque e com medo de qualquer toque ou elogio de desconhecidos. Então eu realmente tava com o pé atrás de fazer qualquer coisa kk,mas também não queria que nosso namoro fosse só uma amizade.
Eu tentava fazer algo simples de um relacionamento como abraços ou beijos na bochecha,coisas aasim,e ela se sentia bem desconfortável com a situação então achei melhor ir ainda mais devagar.
Conseguimos dar nossos primeiros passos em um relacionamento e dava pra ver que ela estava muito feliz com isso,contamos para amigos e dava pra ver a animação dela com o nosso namoro,mesmo a gente concordando que era apenas uma experiência,o que me desanimava um pouco mas era melhor ser desse jeito.
Fomos a encontros juntos,dormimos na casa um do outro,nos divertimos bastante nessa época,mas como eramos novos,decidimos continuar namorando escondido das nossas familia,e até porque era meio cedo pra isso.
Até que ela veio na minha casa,estava sendo meio chato por causa que minha irmã ficava envolta não deixando nos conversarmos direito kk,comemos,olhamos filmes e fomos para a cama e eu tentei agir mais no nosso namoro e deitei com ela e deu tudo certo! Conseguimos nos beijar de verdade naquela noite,mesmo sendo meio ruim no começo por não sabermos como se fazia aquilo kkk.
Dia seguinte o mesmo,conversamos bastante,fomos a uma pizzaria e voltamos para a casa,foi ai que deu tudo errado. Fui agir novamente mas parecia que ela estava com mais atitude e queria que eu também tivesse então eu tive,e esse foi meu erro,estavamos indo longe demais para nossa idade e decidimos parar achei que estava fazendo algo de errado até que ela começou a chorar. "Pqp pqp pqp pqp o que eu faço" era a única coisa que vinha em mente,tentei acalma-la e entender o que fiz de errado mas ela não foi nenhum pouco clara,então não sabia o que fazer. Após um tempinho de conversa fomos dormir(porque era a única coisa que podíamos fazer depois daquilo) Dia seguinte ela foi pra casa e ela claramente estava mal.
Conversarmos sobre tudo pelo whats e ela disse que estava tudo bem,que foi apenas um crise de pânico,perguntei se realmente foi só aquilo e...sem resposta,nosso namoro ficou bem estranho depois disso,ela não se sentia mais confortável comigo então aconteceu o inevitável, terminamos. Não fiquei mal porcausa do termino,mas sim de ter sido eu que estraguei tudo e não pude arrumar.
Nós continuamos amigos depois disso,até porque não passou de uma "experiência",mas nem tocamos mais no assunto,tivemos mais conversas sobre "aquela noite" mas nada que explicasse o que ela sente sobre o que aconteceu. E seila parece tudo muito estranho depois disso e era óbvio que seria assim. Me arrependo de muita coisa mas isso é o ápice,ela tem seus problemas e acho que eu fui um dos grandes.
É isso,espero que tenham gostado da história
submitted by phfw to desabafos [link] [comments]


2020.10.27 17:29 cidopina Estou enojado com esse trecho do livro "A Classe média no espelho", do Jessé Souza. Não que eu não soubesse que isso acontecia, mas não imaginava que era tão "normalizado" assim.

Sérgio: o CEO de um banco explica como se compra o mundo

Sérgio não é um CEO qualquer. Muito inteligente, culto, leitor de psicanálise nas horas vagas – a mulher é psicóloga –, ele é dessas pessoas que têm prazer numa sinceridade desconcertante. Sérgio tinha plena consciência de quem era e do que fazia. Se no passado teve algum problema com isso, agora não deixava transparecer nenhum incômodo.

Desde a adolescência, ele era grande amigo de João Carlos. Filho de banqueiros, havia acumulado fortuna própria na década de 1990, durante o governo de FHC, administrando fundos de investimento estrangeiros que ganharam uma grana preta com as privatizações levadas a cabo no período. Segundo Sérgio, João Carlos começou como um hábil representante de bancos estrangeiros e abriu inúmeras portas de investimento para os parceiros por meio de suas relações nos meios financeiros paulistanos, bem como no poder político e no Poder Judiciário, tanto em Brasília como em São Paulo. Lucrou tanto se utilizando do dinheiro alheio que fundou o próprio banco.

Nessa época, Sérgio frequentava uma faculdade de Direito nos Estados Unidos. Depois passou um ano em Londres, estudando finanças e ciência política e, por indicação de amigos do pai, estagiando num escritório que lidava com o mercado financeiro. Morou também em Sevilha, na Espanha, onde descobriu sua área jurídica de predileção: o direito administrativo.

No início dos anos 2000, quando voltou ao Brasil depois de quatro anos de pós-graduação no exterior, com pouco mais de 30 anos, o amigo João Carlos já era um multimilionário por “esforço próprio” e apenas naquele ano tinha ganhado mais dinheiro do que o pai durante toda a vida. Como o negócio do banco – aliás, o de todos os bancos hoje em dia – dependia da intersecção entre mercado e Estado, João precisava de alguém de confiança para cuidar da parte jurídica, antes terceirizada em diversos escritórios. Sérgio recebeu então carta branca para montar sua equipe de trabalho. Hoje o departamento jurídico é o centro nervoso do banco, com tudo passando pelas mãos de Sérgio, e ocupa um andar inteiro de um prédio moderno, decorado com luxo e bom gosto.

Quando lhe perguntei qual era seu trabalho, Sérgio não titubeou.

O João é o gênio, sabe onde estão o dinheiro e as oportunidades, pensa nisso o tempo todo. Eu só faço comprar as pessoas necessárias para que as coisas aconteçam como ele quer. Não fui eu que inventei o mundo como ele é, só procuro sobreviver da melhor maneira possível. O mais importante no Direito é conhecer os meandros da linha cinzenta entre o legal e o ilegal. Meu trabalho é expandir ao máximo a margem da legalidade a serviço dos interesses do banco.

Como já existe toda uma legalidade paralela que cuida dos interesses do setor financeiro, meu trabalho é fazer com que o nosso banco fique com o melhor pedaço da torta. Nossa equipe tem mais de vinte advogados escolhidos a dedo e bem pagos. Mas eles fazem o ramerrão do trabalho jurídico. O dia a dia. Eu faço os contatos com juízes, políticos e jornalistas e cuido dos clientes estrangeiros. Com o serviço jurídico, no sentido tradicional, meu trabalho não tem nada a ver. É mais gestão de clientes, dar a eles o que querem, dizer o que querem ouvir, beber o que eles querem beber e ser discreto e sóbrio em tudo.

E o que eles querem?

Aqui em São Paulo o que move tudo é o dinheiro e todo mundo quer viver bem. As pessoas são compradas com dinheiro vivo e com depósitos em paraísos fiscais criados para isso. A gente sabe fazer bem feito. Sem deixar rastro. A cidade é toda comprada, não se iluda, toda licitação pública e todo negócio lucrativo, sem exceção, é repartido e negociado.

Todo mundo tem um preço. Até hoje não conheci quem não tivesse. E para todo negócio é necessário uma informação privilegiada aqui, um amigo no Banco Central ali, uma sentença comprada ali ou a influência de um ministro em Brasília acolá.

Além da compra direta, em dinheiro vivo ou depósito no exterior, a gente tem que paparicar constantemente os caras. Uma forma eficaz são os presentes constantes, sem a expectativa imediata de contrafavores. Isso gera simpatia. Às vezes você ganha até um “amigo”.

Todo mundo adora vinhos caros, e as mulheres desses caras adoram essas bolsas que custam 50, 60 mil reais. Se é alguém com conhecimentos técnicos, você pode promover seminários e palestras, e pagar muito além do que se paga nesse tipo de mercado. Para cada tipo de cliente e de gente existe um jeito mais conveniente de comprar sem parecer que está comprando.

Não fazemos isso em troca de um serviço concreto. Isso é muito importante. O que construímos é um círculo de amigos. Temos uma lista grande de pessoas que simplesmente presenteamos no aniversário e em diversas outras ocasiões, ano após ano. Presentes bons e caros. Não economizamos nisso. Aí, quando você precisa, pode contar com a boa vontade do cara. Isso é o que chamo de criar relações de confiança.

E o pagamento direto por serviços específicos?

Obviamente isso também existe. Aí pagamos em paraísos fiscais, por meio de transferências sucessivas entre dezenas de empresas de fachada, de tal modo que nem Sherlock Holmes consegue refazer o caminho original.

Hoje em dia existem meios ainda mais eficazes de eliminar os riscos, mas este é nosso pulo do gato, e não posso lhe contar. Mas não fica rastro, posso assegurar. Esta, afinal, é a nossa mercadoria: a segurança no investimento. E, sendo um banco, tudo fica mais fácil. Não é só no caso do nosso banco: todos os bancos, inclusive os maiores, fazem a mesma coisa.

A mina de ouro de qualquer banco comercial ou de investimento é o Banco Central. Ali só entra gente nossa. E o país é gerido a partir do Banco Central, que decide tudo de importante na economia. É lá que a zona cinzenta entre legalidade e ilegalidade define a vida de todos. Isso não aparece em nenhum jornal.

Podemos fazer qualquer tipo de especulação com o câmbio, como nos swaps cambiais, por exemplo. Se der errado, o Banco Central cobre o prejuízo. Não existe negócio melhor. Se der errado, o famoso Erário paga a conta. Quem controla toda a economia somos nós e a nosso favor, o Congresso nem apita sobre isso. Quando, muito eventualmente, decide sobre algo, apenas assina o que nós mandamos, essa é verdade que ninguém conhece porque não sai em nenhuma TV.

Claro que tudo é justificado como mecanismo de combate à inflação, e não para enriquecer os ricos. Para quem vê isso tudo funcionar a partir de dentro, como no meu caso, é até engraçado.

Essa é a estrutura legalizada pela opacidade do Banco Central e da dívida pública. Mas e os negócios ilegais mesmo?

Não existe negócio que não seja intermediado por um banco, seja legal ou ilegal. Essa história de operador e doleiro é coisa da Lava Jato e da imprensa para desviar a atenção da participação dos agentes financeiros. Os bancos são completamente blindados porque inventaram um meio infalível de distribuir dinheiro para quem já tem muito poder e dinheiro. Falam de todo mundo menos de nós, que comandamos tudo.

Para mim, aí é que está o poder real, o poder do dinheiro. Na verdade, são os bancos os operadores e os doleiros, e todo o dinheiro sai de bancos, seja dinheiro limpo – na realidade, sempre dinheiro que foi tornado limpo –, seja dinheiro sujo. A não ser que você fabrique dinheiro em casa.

Aliás, parte do lucro dos bancos vem de lavar dinheiro e intermediar transações. Mas o grosso da grana vem do Banco Central, das remunerações de sobras de caixa – que são ilegais, mas sobre as quais ninguém diz nada –, das operações de swap cambial, dos títulos da dívida – enfim, o Banco Central é nossa mãe. É tudo escancarado, mesmo com inflação zero e o país na ruína.

Nosso lucro é legal, ou seja, legalizado, já que somos intocáveis e ninguém se mete conosco. Boa parte dos juízes e ministros de tribunais superiores, como todo mundo no meio sabe, advogam por interposta pessoa, e nós somos os principais clientes de alguns e de quem paga melhor. São os bancos que pagam as eleições do Congresso quase inteiro. Aí você pode legalizar qualquer coisa, qualquer papel sujo que a gente mande ao Congresso os caras assinam. Nesse contexto, onde se pode tudo, as operações abertamente ilegais são uma parte menor dos lucros, mas obviamente existem.

Se ninguém imprime notas de dinheiro no quintal, é óbvio que todo o dinheiro, inclusive todo dinheiro sujo, vem dos bancos, que retiram parte do seu lucro real intermediando essas relações e lavando esse dinheiro. Os bancos controlam o que você vai fazer com o dinheiro e todo dinheiro pode ser rastreado.

Toda transferência bancária tem um chip e, se você quiser saber de onde o dinheiro vem, dá para saber. Inclusive nas transações internacionais. Se a transferência é em dólar, tudo passa por Nova York e recebe um número. Mas ninguém quer saber, essa é a verdade. Como os bancos mandam na imprensa, nos juízes e nos políticos, a intermediação de todo dinheiro ilegal jamais é denunciada. E se for denunciar, você é que acaba preso. Isso eu garanto.

Como funciona mandar dinheiro para propinas no exterior, por exemplo, para comprar gente em Angola, na companhia de petróleo?

Você liga para o presidente de um banco [e cita, testando minha reação, o nome do presidente de um grande banco] e pergunta qual a comissão dele para fazer remessa.

“Assim, na cara de pau?”, pergunto. “E como você acha que funciona?”, indaga Sérgio, rindo e se divertindo com minha surpresa.

Lembra daquelas malas do Geddel? Como você acha que aquele dinheiro chegou naquele apartamento? Dinheiro não dá em árvore. Quem tem a possibilidade de fazer o dinheiro circular de um lugar para outro são os bancos, mais ninguém.

Não há nenhum caso de corrupção em que o dinheiro não venha de um banco. Ou seja, os bancos são os intermediários, sempre. A imprensa nunca toca nisso porque é tabu. Afinal, a imprensa é nossa.

Como assim?

Vou lhe contar um caso. Assim que cheguei no banco, o João Carlos estava com problemas com um jornalista, metido a investigador, que publicava todo dia uma notinha chata sobre negócios nossos aqui em São Paulo. O João ofereceu milhões ao cara para apoiar projetos dele se aliviasse a pressão, mas o cara não aceitou. Foi um caso raro, pois era uma grana e tanto na época. O que fizemos? Compramos o jornal, um dos maiores do Brasil, e demitimos o fulano.

Agora decidimos o que sai ou não, pois somos os donos do jornal. Não precisamos pedir nada a ninguém. O jornal é literalmente nosso. Toda a imprensa hoje em dia é assim, de um modo ou de outro. Ou eles devem os olhos da cara aos bancos ou os bancos são os donos diretamente. Por isso não sai nada na imprensa contra os bancos. A imprensa é toda nossa: televisão, jornais, internet, o que você pensar.

E com os políticos e os juízes, como funciona?

Com os políticos você paga a eleição do cara e o que sobrar, se sobrar, porque toda eleição é mais cara do que se imagina de início, ele embolsa. Aí cobramos e montamos a agenda do cara. Ou então pagamos por serviço, como expliquei, normalmente uma parte em dinheiro vivo e outra em depósito sigiloso. Às vezes, num caso ou outro mais complicado, que precisa ser resolvido para os negócios andarem, você faz um depósito no exterior para vários ao mesmo tempo.

A coisa funciona do mesmo modo em Brasília e em São Paulo, e com todos os partidos políticos. Aquilo que aquele maluco da Odebrecht fez, ao criar um departamento de propina, todo banco tem, é como os negócios andam, não tem outro jeito. Mas a gente não deixa rastro como fizeram esses malucos. Ninguém é “santo” [referindo-se à suposta alcunha de Alckmin no livro da Odebrecht], pode acreditar.

E com o Poder Judiciário?

Com os juízes os presentes funcionam que é uma beleza. O cara termina incorporando ao salário – afinal, é a mania deles. A coisa que mais irrita um juiz é saber que um advogado ganha muito mais do que ele. Na verdade, quando o advogado é muito rico, pode ter certeza que também enfia a mão na merda. Como advogado, para enriquecer de verdade, você tem que saber comprar promotores e juízes, além de advogados de outras empresas, para que escolham o seu escritório quando houver necessidade. A Lava Jato está cheia disso. Cansei de ver um colega fodendo o outro para depois ficar com a conta da empresa. Talento muita gente tem, mas construir um círculo de poder e dinheiro e saber gerir isso, mesclando cuidado e ousadia, poucos sabem.

É por saberem disso que muitos juízes ficam putos com o dinheiro que os caras ganham. Sempre acham que merecem ganhar ainda mais do que os advogados mais bem pagos, porque os riscos maiores seriam deles, e não dos advogados. Mas a verdade, e todo mundo sabe, é que a maior punição que um juiz recebe é aposentadoria compulsória, e mesmo para chegar a isso tem que aprontar um monte e fazer muito mal feito.

E como vocês recompensam os juízes?

É um pouco diferente, porque os caras são muito vaidosos, alguns se acham intelectuais. Quando o cara é muito vaidoso, o melhor método é pagar uma palestra com 100, 200 ou 300 mil reais, e ainda faz o cara se convencer de que é por sua cultura jurídica. Ou fazemos seminários internacionais com grandes jornais e revistas comentando e fotografando – aí eles piram. Nesse meio, você tem que saber comprar a vaidade dos caras, fazer com que se sintam mais importantes do que são. Ou então compramos diretamente a sentença.

Você pergunta o preço da sentença e paga, assim, na cara de pau?

“Como você acha que funciona?”, retruca Sérgio, sempre se divertindo muito por estar dando aulas de sociologia prática da vida real.

Vou lhe contar um caso que vai fazer você entender como tudo funciona. O João queria abrir uma casa noturna em Florianópolis, só para se divertir. O diabo é que encasquetou de construir a boate num lugar que era área de proteção ambiental, o MP [Ministério Público] local encrencou e a história virou uma pendenga judicial. Aí tive que ir lá para acertar com o juiz. Quando deixei tudo combinado, o João mandou uma loura – que foi favorita dele durante um tempo e depois passou a trabalhar com a gente, dessas muito bonitas e de 1,80 de altura, como só tem no Sul – levar, numa bolsa grande dessas de marca, um milhão de reais, misturando reais e dólares.

A ordem do João foi mais ou menos assim: “Põe aquele vestido vermelho justinho da Armani que te dei, entrega a mala e faz o juiz feliz.” O fulano passou um fim de semana com a loura, ficou com o dinheiro e a mala, e o João construiu a boate bem onde queria. É assim que funciona com o Judiciário.

Mas não foi uma experiência agradável, vou confessar, já que a moça foi humilhada de um modo meio violento. Fomos ela e eu levar a mala com dinheiro vivo para o juiz. Começamos a discutir o modus operandi jurídico do caso com o juiz e mais dois auxiliares na própria sala do juiz, depois do expediente.

Betina, era assim que a moça se chamava, era estudante de Direito e de vez em quando arriscava um palpite sobre o caso. A certa altura, o juiz se irritou e disse que ela não era advogada, mas puta, e estava ali para outro serviço. Na mesma hora, botou o pau para fora, na minha presença e de outros dois, e mandou a moça chupar.

Depois mandou que fizesse o mesmo com os dois funcionários. Em seguida entra um terceiro assistente, todos obviamente de confiança do juiz e de sua equipe “privada”. Ao ver a moça ainda de joelhos e já com o belo vestido meio rasgado, lança um olhar entre divertido e intrigado à cena, e então o juiz o interpela: “Quer também?” Ato contínuo, a moça cumpre pela quarta vez o mesmo ritual. Esse pessoal adora um abuso, quase tanto quanto dinheiro.

As mulheres sempre participam desse jogo?

Nem todo mundo gosta de misturar putaria e trabalho, mas se você for carente e cair nessa, está fodido. Aí fica na mão mesmo. E o diabo é que o que mais existe é gente carente afetivamente, que sem perceber cai nessa armadilha. Eu, por exemplo, não participo. Como tenho mulher parceira, não tenho este tipo de carência. Não digo que não tenha participado uma vez ou outra, nesses quase 20 anos em que trabalho aqui, mas não é a minha praia.

Mas tem muitos que gostam. Os estrangeiros, por exemplo, adoram. Passei um ano em Londres trabalhando como estagiário na área jurídica do mercado financeiro e lá a putaria é mais pesada. Onde tem muito dinheiro tem muita putaria. Pesada mesmo, todo tipo de coisa que você for capaz de imaginar. Tipo alugar castelo do século XVII para um fim de semana com muita droga e muita festa para todo tipo de gosto.

Afinal, todas as máfias do mundo estão por lá, russos, árabes, africanos, brasileiros. Londres é uma grande lavanderia atrás da fachada da realeza. Comparados com eles, somos amadores. Mas o João sabe fazer esse jogo, não é nenhum amador. Por exemplo, para funcionar, não pode parecer putaria barata, e o João é um gênio nesse jogo.

Outro dia tivemos um cara, um norueguês, da companhia de petróleo deles. O cara sabe tudo de prospecção de petróleo. O João se encarregou pessoalmente de armar a festa. Ele tem uma ilha em Angra só para isso, com heliporto e um iate lindo. Tudo encoberto pela mata atlântica, privacidade total. É um fim de semana de sonho.

A gente tem de 15 a 20 mulheres lindas, que podemos chamar a qualquer hora, algumas ganham presentes caros todos os meses, outras a gente paga mesmo, e nenhuma delas você diria que é puta. São lindas, elegantes, sabem conversar, usam roupas caras, se comportam e não destoam em nenhum ambiente. Algumas você deve conhecer, aparecem na internet, mas isso eu não posso contar. O norueguês, por exemplo, ficou tão louco que queria levar uma delas para a Noruega.

O João aproveita e chama ainda um juiz, um político, um amigo do mercado ou um procurador mais chegado, chama também alguns daqui do banco mesmo, que sabem criar o ambiente mais relaxado e agradável possível, tudo para criar um clima de festa normal. O segredo é forjar “amizades”. Às vezes montamos negócios inteiros com todos os interessados participando, mas sem parecer negócio, como se fossem amigos se divertindo.

Você tem que saber misturar e montar para parecer diversão entre os “parça”, entende? Lá as meninas sabem fazer o trabalho do melhor modo possível. Tudo parece a coisa mais natural do mundo, como uma festa normal e animada entre conhecidos. Nisso de criar uma relação de confiança, o João é impagável. Eu só faço o meio de campo. O astro é ele.

E cabe a você comprar as pessoas para os negócios andarem?

Quem existe neste mundo que não é comprado de alguma forma? Comprar alguém bem comprado não envolve só dinheiro. Você tem que comprar uma relação de confiança. Sem isso, todo o dinheiro do mundo não conta. E isso é um talento.

João costuma dizer que quem manda no Brasil, a elite, não soma mais do que 800 pessoas, e que ele e eu conhecemos cada uma delas. Dessas 800 pessoas, 600 estão em São Paulo, 100 em Brasília e 100 no resto do Brasil. Temos uma relação excelente com boa parte desse pessoal, e diria que, com pelo menos umas 100 dessas 800 pessoas, temos uma relação de confiança construída ao longo dos anos.

Um banco, como qualquer empresa, vive de oportunidades de negócios que a conjuntura econômica e política cria. Se você é realmente um bom empresário, não pode ficar apenas esperando que a oportunidade surja com a conjuntura, pois aí vai ter muitos rivais e concorrentes.

Um bom empresário ou banqueiro é o que percebe a oportunidade quando ela aparece. Mas se você é muito bom, melhor que os outros, como no caso do João, então você tem que fazer com que a oportunidade aconteça só para você ou que você possa aproveitá-la antes dos outros.

Este é o segredo do nosso negócio. Se deixa passar uma janela de oportunidade, você não é bom no que faz. Mas nós somos muito bons no que fazemos. Nós criamos a oportunidade de tal modo que ela caia no nosso colo. Para isso servem as relações de confiança cultivadas ao longo dos anos.
submitted by cidopina to brasil [link] [comments]


2020.10.25 18:19 InternalGuava Conselho de vida: Não se compare com a exceção, se compare com a regra.

Isso aqui é mais um rant mesmo, mas acho que alguém pode pensar parecido comigo.
Primeiro eu vou dar o conselho, depois explicar o porquê de eu estar dando esse conselho.
Não se comparem com a exceção, se comparem com a regra.
Esse é um dos maiores problemas desses últimos tempos: as pessoas sempre veem uma EXCEÇÃO, o TOPO da pirâmide de determinada área, e já saem falando "VOU FAZER TAL COISA PORQUE FULANO DE TAL FICOU MILIONÁRIO FAZENDO ISSO!".
Quando forem analisar determinada área de negócio, foquem em analisar a BASE e não o TOPO. Procurem criar uma estimativa de como está a situação de quem está na BASE (salário, oportunidades de crescimento profissional, concorrência, nicho etc).
Essa perspectiva errada de analisar - e consequentemente, se comparar - com quem está no topo está criando um exército de pessoas iludidas, e acredito eu que seja uma das causas dos altos números de depressão e ansiedade existentes atualmente.
Na verdade essa comparação desnecessária sempre existiu, mas antes era menos descarada.
Antes você se comparava só com quem estava na TV, com aquele parente bem sucedido, aí ficava um pouco triste, mas seguia sua vidinha pacata.
Hoje você é bombardeado constantemente por milhares de pessoas bem sucedidas em todas as Redes Sociais e Plataformas que acessa, isso muda sua mente de uma forma que você não aceita mais ser mediano e cria uma grande frustração interna, porque VOCÊ PROVAVELMENTE É MEDIANO.
------------------------------
E agora, o porquê de eu estar escrevendo isso:
Me mandaram no grupo do Zap da minha ex-faculdade um vídeo de dois Youtubers que começaram um Podcast há apenas 2 anos e hoje estão faturando em torno de 170 mil por mês só por adsense. Depois veio aquela zoação de que todos nós estudamos a toa, que ser Youtuber é o que dá dinheiro, blablabla e talz.
Aí cresceu a raiva dentro do sujeito aqui, mas se eu fosse escrever esse rant lá iria ficar com fama de "chatão do grupo".
Olhem bem com quem as pessoas estão se comparando hoje em dia, com gente que deu certo no Youtube e está rico.
O problema é que o número de pessoas tentando ganhar a vida com Youtube, Twitch, Instagram, Tiktok etc, é enorme, está na casa do milhão (todo mundo conhece alguém que tá tentando ganhar a vida assim).
Só que para cada 1.000.000 de pessoas tentando ganhar a vida assim, 1 consegue; o problema é que essa 1 pessoa viraliza e ganha a atenção de milhões de pessoas, enquanto que as outras 1.000.000 não conseguem nenhuma visibilidade (e provavelmente não irão fazer um vídeo falando de como fracassaram).
E aí o sujeito vem, se compara com as pessoas do topo, e acha que vai conseguir também.
Aliás, ENTRETENIMENTO NÃO É PARÂMETRO PARA ESCOLHA DE PROFISSÃO. É uma área extremamente aleatória e baseada na sorte, além de na maioria das vezes ser curta. Mas não vou me alongar nessa questão.
------------------------------
Agora, vou dar alguns exemplos de pessoas do meu círculo social que vivem seriamente iludidas (quem não gosta de saber um pouco da vida dos outros, né? 🙂):
  1. Amigo da família que abriu uma loja de salgados com a justificativa que existe UMA loja de salgados aqui perto que vende milhares de salgados por dia (o cara, ao invés de se comparar com as milhares de lojas de salgados medianas da BASE, quis se comparar com a loja do TOPO, com o 1%).
  2. Conhecido que LARGOU sua faculdade no penúltimo semestre pra fazer Design de Interiores pois "existe serviço em qualquer lugar e tem Designer de Interiores que ficou milionário" (depois de um pouco de conversa, o cara admitiu que sequer fez uma pesquisa de mercado pra realmente confirmar essa ideia de que "existe serviço em qualquer lugar", só ficou tentando me convencer da parte que "mUh, existe DeSiGnEr miLioNáRio").
  3. Conhecida que passou por várias "profissões" e não se firmou em nenhuma. Saquem só quantas "profissões" ela tentou, vou falar na ordem: Cantora, Modelo, Blogueira de Receitas e agora virou Agenciadora do Instagram da filha recém-nascida, que por sinal não tá dando certo pois a bebê não tem nem mil seguidores ainda (A noção da realidade dela é totalmente deturpada. Um dia desses, seu namorado falou que a vida dela era ficar no Instagram. Acho que ela ta achando que a bebê vai ganhar milhões de seguidores que nem esses filhos de famosos).
  4. Amigasso meu veio pedir dinheiro emprestado pois sabia que ficaria rico no Day Trade. Perguntei pra ele se ele já se destacou seriamente em alguma área pra achar que poderia ganhar do mercado financeiro, aí ele me falou de um monte de youtubers de que ensinam a profissão e que "agora ia dar certo".
------------------------------
E, por fim, alguns conselhos que eu pude pensar até agora nessa manhã de domingo:
  1. CUIDADO com as redes sociais e plataformas de vídeo. Tentem pelo menos filtrar o conteúdo que consomem nelas (Ex.: Eu tenho um Instagram fake só pra ver memes, entro no meu principal apenas algumas vezes no mês pq nele tem uma saraivada de conhecidos mostrando como a vida deles é perfeita, e por mais que eu entenda essa dinâmica do Instagram, sei que se eu ficar consumindo isso não vou ficar bem de cabeça).
  2. O Jordan Peterson fala disso no livro dele, "12 Regras para a Vida". A regra 04 se chama "Compare a si mesmo com quem você foi ontem, não com quem outra pessoa é hoje". Sugiro que leiam o livro para terem uma ideia do porquê isso faz tão mal.
2.1 Na verdade, procurem por "Rule 04 Jordan Peterson" no Youtube que é mais rápido. Se vocês souberem inglês, é claro.
  1. Vocês podem sim chegar no topo de qualquer profissão ou área de interesse, mas primeiro foquem no que é seguro, no que vai deixar o dinheiro entrando todo mês para garantir o arroz e feijão de cada dia, depois vocês pensam em engrandecer pq engrandecer é exceção e não regra.
Bom domingo!
submitted by InternalGuava to brasil [link] [comments]


2020.10.25 04:59 Cold_Hands_Hot_Heart Pizza grátis!

Ta bem, vou tentar resumir os acontecimentos de hoje e como fatores externos o fizeram possível.
Eu nunca tive muitos amigos, e por conta disso assistor streans faz parte da minha vida já, e uma vez vi um vídeo no you tube onde ele procuravam gente com poucos telespectadores para doar uma grana e ajudar a incentivar. Bem eu não dinheiro o bastante para doar, mas eu tenho muitas horas de experiência em lives de grandes streamers e como tal, costumes de spamar memes e piadas e com um monte emojes. O que é bem bacana por quê, um streamer que ta começando em geral não tem lá um chat muito animado e eu tento alegrar um pouco os cara.
Hoje a tarde fui eu ver algumas streans de novatos, entre minha busca, eu fui zoado e chamado de ruim em um game que eu jogo desde o lançamento, um maluco aleatório começou a discutir comigo por conta de uma pergunta que eu fiz e na terceira tentativa fui um streamer que não queriam que falassem com ele, isso mesmo, o maluco ficou alegando que ele estava jogando pela primeira vez e gente que fica falando e dando dica é irritante. No fim eu percebi que um dos streamers que vi a uns dias atrás estava gravando. Sério ser tratado com educação em uma live com gente legal que está aberto a conversar com o público é outro nível, ainda por cima ganhei uma pizza no sortei da live do cara em comemoração aos 200 followers dele.
Fiz uma montagem no photoshop pro cara e se pá que vou fazer alguns emotes dos memes que criamos na live dele, por que o cara foi muito gente boa.
O que eu deixo de tudo isso é: o mundo ta cheio de gente mal educada e louca, que geralmente nos força a nos blindar para não surtar, mas se quer saber, por mais que eu vista uma armadura nas minhas mãos não haverão espadas e sim rosas, pois fazer alguém sorrir é a melhor sensação do mundo pra mim.
submitted by Cold_Hands_Hot_Heart to desabafos [link] [comments]


2020.10.22 16:54 Live_Faster Nunca achei que fosse possível se afastar de um amigo por visões de quarentena...

... até ter um amigo, bem próximo, que começou a desprezar sutilmente os meus esforços de me isolar em casa, como se a rotina dele de sair, se encontrar com pessoas (tudo sem máscara), e até ficar com uma galera nessa época fosse a porra de um modelo a ser seguido.
Agora, o mesmo amigo tá organizando uma festa de aniversário na casa dele, boa parte dos meus amigos vai. Uma pequena aglomeração de pessoas sem máscara que vão se embebedar pra voltar a velha normalidade. E eu queria ir também... mas sinceramente, eu já sou a nova normalidade. E prefiro ficar com a consciência limpa de que não fiz algo que, no fundo, eu não queria fazer. A bosta é ouvir desse amigo um monte de conselho como se o cara fosse um sábio da montanha, me tratando (sutilmente, que acaba cortando mais fundo) como paranoico por estar levando a sério o isolamento.
Sério, pessoas, que momento estamos vivendo. Aqueles que estão conseguindo manter uma certa integridade com a quarentena, ainda mais depois de todo esse tempo que já passou, aqui vai os meus mais sinceros agradecimentos. Creio que esses tempos sejam, também, de uma incrível evolução espiritual. E por estarmos vibrando em prol de uma ideia de "bem coletivo", e até de integridade física com o nosso corpo, a gente vai tirar algo muito bom disso tudo. Pelo menos algo diferente das pessoas que vibram no egoísmo, isso é certo.
submitted by Live_Faster to desabafos [link] [comments]


2020.10.22 01:07 DoWidzenya Tava no meio de uma crise e precisei escrever

"Você tá bem?"
Não eu não tô
Eu não tô e pronto
Sla hj foi um dia de merda
E o pior é que eu nem tenho justificativa pra dizer que hoje foi um dia de merda
O dia tava lindo o sol tava brilhando, ela falou comigo de manhã, a gente conversou, tava tudo indo bem e de repente...
Eu desabo
Eu desabo e parece que eu tava guardando tanta coisa dentro de mim pq sai tudo de uma vez, as lágrimas não param de rolar, eu choro pra caralho, eu escrevo pra caralho e eu paro de chorar
Eu penso no porque eu tô chorando, pq eu quebrei desse jeito o que que tá de errado comigo e eu não sei...
Eu simplesmente não sei Não aconteceu nada nos últimos 6 meses, literalmente nada, e tava tudo bem 10 minutos atrás, porque eu tô chorando porra?
Parece que eu guardei um monte de coisa, fui guardando até transbordar, só que eu escondi tão bem que mesmo quando transborda eu não consigo saber o que era que eu tava guardando
E aí eu fico com raiva
E quanto mais com raiva eu fico mais de longe parece que eu vejo a cena
É patético
Um idiota chorando literalmente sem motivo
Eu olho ao redor dele, vendo o que transbordou e tento pelo menos entender algo
Nem as lições da escola ele tava fazendo
Enquanto todo mundo tá lá se matando pra fazer as coisas, tendo algum motivo, se estressando com a vida escolar, ele simplesmente escolheu não fazer nada
Mas isso passa. Ele escreveu sobre esse sentimento pra ele mesmo e passou
Passou
Isso acontece uma, duas vezes por mês
Já é normal
Eu já devia ter me acostumado
E eu volto de novo pra dentro de mim
Sigo o meu dia
Até eu, sinto como se nada tivesse acontecido
Eu quase esqueço que aconteceu, na verdade
Faço piada, rio, até comento sobre isso com uma ou duas pessoas de confiança
Tá tudo bem, agora tá bem
Até o barulho dos carros ficar mais fraco
Até não ter tanta gente andando nas ruas
Até o barulho do mundo parar
Até chegar a noite
É nessa hora que tudo vem de novo e eu percebo que em segundo plano, eu tava tentando resolver essa dúvida. Eu passei o dia tentando entender porque eu tava mal
E eu achei a resposta
É simples
Eu sou um ator que morreu no personagem
É engraçado até. Irônico se preferir
Eu tentei tanto esconder o que eu sentia, que eu consegui
Parede atrás de parede, máscara atrás de máscara, eu fui construindo uma defesa que acabou ficando boa demais
Eu não sei porque eu tava chorando mais cedo porque eu não sei nem se era eu chorando
Talvez fosse mais um personagem que eu criei
Qual?
O que eu uso pra falar com a minha mãe e fingir que quando ela me ignora isso não dói?
Com a minha irmã, que claramente não gosta de mim mesmo eu me esforçando pra tentar virar amigo dela?
O que eu uso pra ir pro serviço, que simplesmente abaixa a cabeça e obedece e finge que tá satisfeito?
O que apanhava do meu pai e fingia que não doía pra não ter que admitir que morria de medo dele?
Ou será que é outro?
Porque a esse ponto eu já perdi a conta de quantos eu criei
Tem até um que finge que não sabe que na rodinha de amigos ele é o menos preferido, que finge que não sabe que fica de fora dos rolês?
Será que até mesmo a pessoa que aquela garota ama, não é só mais um?
Que seja
Eu pego o celular e ligo algum vídeo aleatório
Desisto porque isso não vai funcionar
Hoje é um dia de merda, preciso de mais imersão em alguma coisa
Ligo o videogame, é mais fácil me concentrar em colocar uma bala na cabeça de um personagem virtual do que na minha própria
Até porque eu já discuti isso
E sei que o personagem que a eu criei não pode aceitar essa porra
Então é isso. Você me perguntou se eu tô bem?
Não eu não tô
Eu tô um lixo
Mas amanhã isso passa
E se não fosse por esse texto aqui nem eu lembraria de tudo isso Amanhã isso passa e eu tô aí de novo
Hoje ela me perguntou porque eu não liguei pra ela na hora que eu tava mal
Eu não sei responder isso
Mas algum deles soube
O personagem tomou o controle
Escreveu algo sobre cada um ter sua bagagem
E que tem bagagem que se carrega sozinho
E tem outras que se compartilha
Uma mentira do cacete
Ela ficou triste, disse que estava lá pra quando eu precisasse, e disse que me amava... Ou melhor, que amava quem eu fingia ser
Eu tô cansado de fingir, eu não quero mais
Mas no meio dessa bosta toda
Eu nem sei mais se eu sei parar
Se eu consigo voltar a ser quem eu era
Se eu quero
Eu não tô bem
E eu não sei direito o porque
...
"Tô sim kkkkjj pq a pergunta?"
submitted by DoWidzenya to desabafos [link] [comments]